Veja o que fazer para negociar dívidas bancárias

Propostas podem ser feitas via online ou nas agências. Caixa dará desconto de 90%

Por Marina Cardoso

Mais de 1,4 milhão de famílias estão com débitos em atraso no Rio
Mais de 1,4 milhão de famílias estão com débitos em atraso no Rio -

Rio - Com o aumento do número de consumidores endividados no Rio, mais de 1,4 milhão de famílias estão com débitos em atraso, esta semana pode ser uma boa oportunidade para quem busca negociar dívidas. Até o próximo domingo, ocorre a 6ª Semana Nacional de Educação Financeira (Semana Enef 2019), da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), com a possibilidade do cliente zerar débito por meio de plataforma online. Ou diretamente como os bancos que oferecem formas de pagamento negociadas o ano todo. Ontem, a Caixa Econômica Federal anunciou que lançará programa que dará desconto de até 90% aos clientes endividados. 

Por meio da plataforma "consumidor.gov.br", há possibilidade de negociar débitos. Lá, os clientes podem se cadastrar, selecionar uma das 90 instituições financeiras participantes e solicitar a renegociação de débitos.

Na edição do ano passado, 4,3 mil pedidos de negociação foram formalizados aos bancos pela plataforma. De cada dez consumidores, oito obtiveram acordo, evitando ação judicial futura.

Mas também há a chance dos débitos serem negociados com as próprias instituições financeiras. Pelo menos cinco bancos mantêm plataformas online para os clientes quitarem a dívida. Entre elas, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú Unibanco e Santander. 

Especialistas dão a dica: antes de negociar, é necessário verificar como a dívida foi composta. "Conforme souber a origem, vai perceber onde está errando e vai verificar que não cometerá o mesmo erro. Após isso, ele deve saber qual é a real situação financeira em termos de receita", explica o economista Alexandre Prado.

Uma vez que o consumidor tenha domínio sobre seu orçamento, vai ver o quanto pode tirar mensalmente para quitar a dívida. "Não adianta negociar se não vai ter como pagar", explica Prado. 

Alternativa para quitar a dívida é trocar linhas de créditos com taxas mais altas por outras com juros mais baixos. Segundo Prado, o cliente deve negociar com o credor para trocar a dívida. "Quem está no cheque especial deve trocar por crédito consignado ou até uma linha de crédito do banco, por exemplo. É a troca de uma dívida mais cara por uma mais barata", sugere. 

Palestras

Na Semana Enef, bancos promovem ações de educação financeira em todo o país. O Itaú Unibanco, por exemplo, lançou a 'Trilha de Finanças', minicurso de gestão financeira. Já o Santander dá capacitação a empreendedores e orientação gratuita online, no https://parceirosemacao.com.br/. A Caixa tem cursos e oficinas sobre o tema.

O Procon Carioca promove, com a Guarda Municipal, até sexta, palestras sobre inteligência financeira, investimento e superendividamento.

 

Comentários