Conta de luz vai ficar mais cara

Aneel reajusta bandeiras tarifárias amarela e vermelha, com isso custo da energia vai subir já no próximo mês. Confira dicas para economizar

Por MARTHA IMENES

Por conta do reajuste das bandeiras, a conta de luz vai ficar mais cara
Por conta do reajuste das bandeiras, a conta de luz vai ficar mais cara -
Rio - As bandeiras tarifárias amarela e vermelha, que cobram R$ 1 e R$ 3, respectivamente, estão mais caras. O anúncio foi feito ontem pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um reajuste nos valores da bandeira tarifária amarela e da bandeira vermelha.
O maior reajuste, que será nos patamares 1 e 2, ocorreu na bandeira amarela, que passou de R$ 1 a R$ 1,50 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) - uma alta de 50%. O patamar da bandeira vermelha 1 passou de R$ 3 para R$ 4 a cada 100 kWh, alta de 33,3%, e o patamar 2 da bandeira vermelha passou de R$ 5 para R$ 6 por 100 kWh consumidos, alta de 20%.
Confira dicas para economizar energia
As dicas de economia nas contas de luz publicadas na edição de ontem de O DIA vão ajudar o leitor a gastar menos energia. Trocar as lâmpadas, tirar equipamento das tomadas quando não forem utilizados, não deixar a luz ligada se não tiver ninguém no cômodo, acumular roupa para passar a fim de evitar o liga e desliga do ferro elétrico, manter borrachas da geladeiras em ordem, reduzir o uso do ar condicionado e não fazer da hora do banho o "karaokê" diário, principalmente se o chuveiro estiver no modo inverno.
O reajuste servirá para adequar o valor do custo extra a ser cobrado dos consumidores em períodos em que a produção de energia ficar mais cara. O objetivo é que a arrecadação com as bandeiras fique o mais próximo possível do valor extra gasto com a geração de energia.
Segundo o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, o reajuste evitará que a conta da bandeira tarifária fique deficitária em 2019. Em 2017, a conta da bandeira fechou com um déficit de R$ 4,4 bilhões e em 2018 o déficit foi de cerca de R$ 500 milhões. Esses déficits foram incluídos nos reajustes tarifários.
"A revisão é necessária para que não haja um déficit ainda maior em 2019, que terá que ser pago nas tarifas de energia em 2020", afirmou. Segundo ele, os novos valores são mais adequados ao real custo de geração deste ano.
Sistema de bandeiras
Em vigor desde 2015, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo da energia gerada, possibilitando aos consumidores reduzir o consumo quando a energia está mais cara.
De acordo com o funcionamento das bandeiras tarifárias, as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.
A bandeira verde significa que o custo está baixo e é coberto pela tarifa regular das distribuidoras, então não há cobrança extra na conta de luz. O acionamento das bandeiras amarela e vermelha representam um aumento do custo de produção de energia e, por isso, há cobrança na conta de luz. O aumento do custo de geração está ligado principalmente ao volume de chuvas e ao nível dos reservatórios.

Comentários