Portugal, um país que vai muito além do vinho

Região Norte cria incentivo para empresas migrarem para a localidade e impulsiona o turismo de negócios

Por MARTHA IMENES

Rui Pedro Gonçalves, em visita ao Rio, anunciou medidas de incentivo ao turismo de negócios na Região Norte de Portugal
Rui Pedro Gonçalves, em visita ao Rio, anunciou medidas de incentivo ao turismo de negócios na Região Norte de Portugal -
Rio - Os brasileiros interessados em investir em atividades de apoio ao turismo e ampliação de seus negócios, até mesmo os pequenos, vão encontrar muitas oportunidades no Norte de Portugal. Além da facilidade do idioma, os governos têm oferecido suporte - da concepção à instalação do negócio - aos empreendedores que migrarem para a região, que tem 86 municípios. "Temos a grande facilidade do idioma e das características culturais semelhantes. Há muito a ser explorado em termos comerciais e de negócios na região", contou ao DIA Rui Pedro Gonçalves, diretor-executivo da Associação de Turismo do Porto e Norte (ATP).
A região tem criado facilidades e comodidades para atrair investidores e empresas. E essa investida tem dado certo. Já estão no Porto, a gigante Amazon, anunciou a instalação de um centro de distribuição; a EuroNext, operadora europeia de bolsa de valores; a empresa de energia eólica Vestas; e o suporte mundial do banco BNP Paribas. Também estão no Porto a BoschCar, que produz sistemas de entretenimento e informação para a BMW, Renault, Audi e Nissan; a BMW e a Critical Software, que anunciaram uma joint venture no país para o desenvolvimento de tecnologias automotivas para a montadora alemã.
Estas são algumas das empresas que deixaram suas sedes e migraram para o Porto, que no nosso imaginário se limitava ao vinho, mas que tem se mostrado uma espécie de "Vale do Silício" europeu. "O Porto é considerada a melhor cidade europeia para a instalação de startups, Viana do Castelo passa por uma boa fase de crescimento com a indústria naval, enquanto Braga tem um importante centro de nanotecnologia, que continua sendo ampliado, e Guimarães, berço da nação portuguesa que oferece muitas oportunidades no setor de turismo cultural", afirma Rui Pedro.
"A instalação da BNP Paribas foi considerada a maior operação de arrendamento do Grande Porto. Temos muitas empresas que chegam à região para atividades de pesquisa e desenvolvimento atraídas pelas muitas vantagens oferecidas, incluindo preços competitivos para locação ou aquisição de escritórios novos e modernos, além de mão de obra extremamente qualificada, com profissionais formados pelas melhores universidades do país", avalia.
Rui Pedro deu a seguinte dica ao DIA: os segmentos que oferecem boas oportunidades na região são os de logística, transporte, serviços financeiros e de desenvolvimento tecnológico, alojamentos e suporte nas atividades turísticas.
E abrir uma empresa não é nenhum bicho de sete cabeças: em um clique o futuro empreendedor pode criar sua empresa. No site http://www.empresanahora.mj.pt é possível abrir o negócio, que custa 300 euros. O capital social mínimo para a constituição de uma empresa é de 1 euro.
Azul amplia voos para o Porto
Anualmente, cerca de 200 mil brasileiros fazem turismo no Norte português. Fora do continente europeu, o Brasil é o país que mais envia turistas para o local. E o local, que está em franca expansão, tem impulsionado a rede hoteleira, que já se prepara para o crescimento da região. Cinquenta hoteis de diversas redes receberam licença para começar a construir nos próximos anos. Com isso, serão disponibilizamos mais de 5.500 novos leitos, distribuídos em hotéis de categorias que variam de 2 a 5 estrelas.
A construção desta infraestrutura chega na esteira da ampliação da oferta de voos diretos para a segunda maior cidade de Portugal. Na primeira semana de junho, a companhia área Azul passou a oferecer três voos semanais saindo de Campinas, sem escalas, para o Porto. A partir de julho, será a vez dos aviões da Emirates partirem de Dubai para aterrissar no aeroporto Francisco Sá Carneiro, quatro vezes por semana.
Em visita ao Brasil, Rui Pedro comemora este momento e afirma que ainda há muito a ser explorado do ponto de vista turístico na região. "Em média, um turista brasileiro passa 5,2 noites na região Norte de Portugal e gasta, em média, R$ 3 mil no período de estadia, sem contar com o alojamento e viagens. Queremos mostrar que temos roteiros diversificados que podem fazer esse período médio aumentar para oito noites. Nosso objetivo é que os visitantes tenham boas lembranças e muitos motivos para voltar, além de indicar a região para amigos e familiares", comenta.
Recebendo dois milhões de turistas estrangeiros anualmente, a meta é ampliar o número de visitantes em, pelo menos, 20% até 2024. Em 2018, a Região Norte de Portugal já apresentou um crescimento turístico de 8% em relação a 2017.
Turismo de negócios
O turismo de negócios também é outro foco da ATP. A chegada de grandes empresas impulsionou a economia da região e atrai empresários e profissionais de diversos segmentos interessados em oferecer produtos e serviços complementares.
"Além de todos os atrativos para empresas de diversos segmentos, a Região Norte de Portugal é uma ótima porta de entrada para o restante da Europa, oferecendo estrutura e muitas opções de deslocamento. A região também não está saturada, temos espaço para crescer ainda mais", explica Rui Pedro. "A estabilidade política do país, o elevado grau de segurança e a ampla rede de serviços saúde, que atende moradores e turistas, também são grandes atrativos", finaliza Rui Pedro.

Galeria de Fotos

Rui Pedro Gonçalves, em visita ao Rio, anunciou medidas de incentivo ao turismo de negócios na Região Norte de Portugal Martha Imenes/Agência ODia
Região Norte: incentivo ao turismo e negócios DIVULGAÇÃO ATP
Região Norte: incentivo ao turismo e negócios DIVULGAÇÃO ATP
Região Norte: incentivo ao turismo e negócios DIVULGAÇÃO ATP

Comentários