'Motivo de eu estar no governo é que presidente gosta de privatizar', diz Mattar

Secretário especial de Desestatização participou da 20ª Conferência Anual Santander, em São Paulo

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Secretário especial de Desestatização, Salim Mattar
Secretário especial de Desestatização, Salim Mattar -
São Paulo - O secretário especial de Desestatização, Desenvolvimento e Mercados do Ministério da Economia, Salim Mattar, voltou a dizer nesta segunda-feira, 12, que o verdadeiro motivo de compor a equipe do governo federal é a vocação e inclinação do presidente da República, Jair Bolsonaro, em privatizar.

"O motivo de eu estar no governo é que o presidente gosta de privatizar, disse Mattar ao participar da 20ª Conferência Anual Santander na capital paulista.


O secretário reforçou que a meta da sua pasta é levar o País na direção da abertura de sua economia e que, para isso, dentre todos os pontos da agenda liberal do atual governo, as privatizações serão levadas a cabo.

"Eu acho que governo não deve investir. Quem quer investir é o setor privado. Essa é a minha visão e não do Ministério da Economia", disse o secretário.

Ele disse ainda que apesar de o ministro da Economia Paulo Guedes ter estimado em R$ 20 bilhões os recursos que poderiam se arrecadados com as privatizações, o potencial com as vendas totais dos ativos públicos é de R$ 990 bilhões e que para atingir os R$ 20 bilhões do governo só faltam 10%. Ou seja, R$ 2 bilhões.

Comentários