Mais Lidas

A palavra de ordem é reinventar: saiba como

Pesquisa mostra que pessoas mais velhas têm dificuldade de conseguir e se manter no emprego

Por MARTHA IMENES

Fernando Ney: Da construção civil para a cozinha. Curso de pizzaiolo rendeu novas oportunidades
Fernando Ney: Da construção civil para a cozinha. Curso de pizzaiolo rendeu novas oportunidades -
Rio - Pessoas com 50 anos de idade ou mais e de Nível Secundário incompleto são as que enfrentam maiores dificuldades para conseguir e se manter no emprego. E a renda segue a mesma "rota": esses trabalhadores são os que têm salários menores. Os dados fazem parte da Carta de Conjuntura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).
"Os trabalhadores com menor nível de escolaridade conseguem se manter por mais tempo no emprego. Já para os menos escolarizados, quanto menor for a qualificação desse trabalhador é sempre mais fácil ele ser demitido, e dado que ele está no desemprego, é mais difícil voltar ao mercado de trabalho", explica a técnica de Planejamento e Pesquisa do Ipea, Maria Andreia Parente. E como conseguir reverter esse quadro?
Segundo especialistas, se reinventar como profissional deve estar no radar do candidato. Seja concluindo o antigo Segundo Grau, ou fazendo algum curso, o importante é buscar um diferencial para disputar uma oportunidade no mercado de trabalho.
A primeira providência é traçar um objetivo. Como mudar de área, ou correr atrás do mesmo cargo que ocupava antes de ser demitido. Já sabe o que quer? Agora é preciso pensar em dinheiro. Quanto tem disponível para investir em educação?
"Reflita com muito cuidado, levando em conta que não sabe por quanto tempo ficará desempregado", adverte o especialista em Recursos Humanos, Luiz Fernando Morais.
E foi exatamente isso que Fernando Ney Elias de Oliveira, 58 anos, fez. Se reinventou. Mas isso vamos contar no outro quadro...
Outro ponto é pensar no tipo de curso mais adequado para seus objetivos e necessidades: curso técnico, de língua estrangeira, informática, profissionalizante. Uma dica: avalie o curso e os professores para não cair em furada.
CURSOS A DISTÂNCIA
Caso o candidato tenha acesso à internet, também é possível recorrer a cursos a distância. "Pesquise sempre a confiabilidade do site, as credenciais dos professores e as opiniões de quem já fez o curso", diz o especialista.
Não tenho dinheiro, e agora? Mesmo sem nenhuma verba para investir, não é preciso ficar parado. Se não concluiu o Ensino Fundamental ou Médio, esse é o momento; muitas escolas públicas tem turmas para ensino de adultos.
Há também instituições de ensino que oferecem cursos de qualificação gratuitos, presenciais ou online.
De aluno a professor de novos candidatos
A idade chegou e com ela o desemprego. Essa foi a realidade enfrentada pelo técnico em edificações, Fernando Ney Elias de Oliveira, de 58 anos - prestes a fazer 59, diz ele todo orgulhoso -, morador de Engenho de Dentro, na Zona Norte. O que parecia ser um caminho tortuoso acabou virando uma história de garra e 'reinvenção' profissional.
Integrante da Escola de Samba Arranco do Engenho de Dentro, Fernando viu na tevê o trabalho desenvolvido pela Comunidade Católica Gerando Vidas e teve a iniciativa de entrar em contato com os organizadores para levar o programa de empregos para a quadra. "Junto com as vagas de emprego a Comunidade Católica também passou a oferecer um curso de pizzaiolo para os candidatos", contou ao DIA.
"Vi nesse curso a oportunidade de aprender outro ofício e driblar o desemprego".
E deu mais do que certo a empreitada de Fernando: hoje ele abriu o próprio negócio em casa e faz pizzas por encomenda. Além disso dá aula para novos pizzaiolos na Comunidade Católica.
Quem quiser dar uma 'forcinha' e experimentar as pizzas caseiras do Fernando segue o telefone: (21) 99256-2195. Ele conta que já, já vai estar com uma página na internet para oferecer as pizzas, mas por enquanto as encomendas são via WhatsApp mesmo.

De onde surgiu a ideia
A iniciativa de oferecer um curso de formação aos candidatos não foi aleatória, Paulo Vasconcelos, organizador do programa da Comunidade Católica Gerando Vidas, explica que dois parceiros do programa de empregabilidade, um restaurante e uma rede de supermercados, ofereciam vagas para esse tipo de profissional. E essas vagas nunca eram preenchidas justamente pela carência de formação de mão de obra.
"O Fernando é um dos nossos melhores exemplos. De aluno aplicado hoje é professor", comemora Paulo. "O curso têm duração de três semanas, são 12 horas/aula, e é totalmente prático. É uma oportunidade para o profissional se reinventar", finaliza Paulo.

Comunidade Católica gerando Vidas oferece 1,6 mil vagas
Para quem está em busca de uma recolocação, as feiras de emprego da Comunidade Católica Gerando Vidas oferecem oportunidades para arrumar ocupação com carteira assinada. Esta semana serão três feirões de emprego com 1,6 mil vagas. O primeiro ocorre amanhã no Sindicato de Telefonia do Rio de Janeiro (Sinttel Rio), no Maracanã, e quarta-feira na quadra da escola de samba do Arranco, no Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio.
De acordo com Paulo Vasconcelos, organizador da feira de emprego, a necessidade de preenchimento de vagas extra Natal aumentou a oferta de oportunidades. "Nos setores de comércio e serviços a demanda tem crescido, começamos com 1,2 mil vagas em dois feirões na semana. Agora esse número subiu para 1,6 mil e ampliamos o feirão em mais um dia na semana", comemora Vasconcelos.
Na primeira feira, amanhã no Maracanã, a Comunidade Católica oferecerá cerca de 260 oportunidades. Já na quarta-feira, na Quadra do Arranco do Engenho de Dentro, os candidatos terão a chance de disputar 580 vagas de empregos. E na sexta-feira, ainda na quadra, serão mais 760 oportunidades de trabalho. É importante ressaltar que o início dos eventos está marcado para às 10h.

DICAS PARA QUEM QUER VOLTAR AO MERCADO
TENHA FOCO
Um profissional em busca de recolocação precisa ter clareza sobre quais tipos de problemas consegue resolver em uma empresa. Manter foco significa ter uma área de trabalho bem definida — por exemplo, a de marketing. Dessa forma, será possível comunicar o objetivo de maneira clara no currículo, em uma entrevista de emprego ou nas redes sociais.

CRIE UMA ROTINA
Estar desempregado não tem nada a ver com deixar o tempo correr aleatoriamente. É importante criar uma rotina diária de procurar trabalho, fazer cursos online e agendar reuniões com ex-colegas, que pode ser um simples encontro para um cafezinho. Tudo conta como estratégia para sair do sofá e seguir ativo na busca pela vaga.

ATUALIZE-SE
Se tiver uma verba rescisória, use parte dela para aprimoramento profissional, com cursos de curta duração ou aulas de idioma. Caso não tenha condições de investir neste momento, existem vários cursos gratuitos, e-books e workshops, disponíveis principalmente na internet, que podem ajudar na melhoria da sua qualificação profissional.
AVALIE SITES DE EMPREGO
Os portais que aproximam candidatos de empregos podem ser boas alternativas para encontrar vagas. Alguns são redes sociais, como o LinkedIn, e outros são portais de cadastro e publicação de vagas, como Catho e InfoJobs. Tenha atenção às opções pagas destes serviços.
FAÇA UM BOM CURRÍCULO
Faça uma apresentação profissional que deixe claras quais são suas capacidades, experiências e pretensões. Também é importante colocar os resultados alcançados em cada empresa que trabalhou, como metas, conquistas e projetos. Isso mostra o seu diferencial diante de outros candidatos.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários