Altas pesam no bolso do consumidor

Petrobras reajusta gasolina em 4% nas refinarias e dólar fecha cotado a R$ 4,25, recorde pelo 3º dia

Por MARTHA IMENES

Dólar acumula valorização de 5,14% no mês
Dólar acumula valorização de 5,14% no mês -

Rio - A alta recorde do dólar chegou à gasolina, que foi reajustada novamente em menos de uma semana. Desta vez o aumento autorizado pela Petrobras foi de 4% nas refinarias. Ontem a moeda norte-americana fechou cotada a R$ 4,25 e bateu recorde pelo terceiro dia seguido. O leitor se pergunta: "Por que devo me preocupar com a cotação da moeda dos Estados Unidos e com alta da gasolina se não vou viajar, nem tenho carro?". A explicação é bem simples: estes aumentos impactam diretamente o custo do frete e dos alimentos que vêm do exterior. Um exemplo? O trigo e seus derivados, como macarrão, biscoito, pizza, pães e por aí vai. Maior parte do trigo vem da Argentina e a compra é feita em dólar. Ou seja, o mercado encontra aumento no preço de matérias-primas e repassa o acréscimo no valor final. O pãozinho, por exemplo, pode subir até 10%.

A dica de economistas consultados pelo O DIA é uma só: pesquise antes de abastecer e fazer compras. E de onde o consumidor pode esperar mais aumento além do mercado? Segundo especialistas, em eletrônicos, eletrodomésticos e remédios importados ou feitos com insumos do exterior. Para quem viaja, é mais complicado: além da compra da moeda, as hospedagens e as passagens aéreas saem mais caras.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, não vê problema na alta da moeda americana. "O dólar está alto. Qual o problema? Zero. Nem inflação ele (dólar alto) está causando. Vamos importar um pouco mais e exportar um pouco menos", afirmou na segunda-feira em Washington. Mas, para o economista e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) Mauro Rochlin, a permanência da moeda norte-americana em patamar elevado pode 'desarrumar' a economia brasileira. "Os juros vão subir e a retomada econômica encontrará dificuldades, principalmente a geração de empregos", diz.

Pesquise antes de sair

No site da Agência Nacional do Petróleo (www.anp.gov.br/precos) é possível procurar preços por região. O ideal é que o consumidor pesquise antes de sair para abastecer.

Levantamento de preços no site mostra que o valor do litro da gasolina vai de R$ 4,59 (Bangu) a R$ 5,19 (Ilha do Governador). Existem valores intermediários em Anchieta, a R$ 4,69, e Vila Isabel, a R$ 4,94.

 

Como economizar combustível

Pesquise preços
No site da Agência Nacional do Petróleo (www.anp.gov.br/precos) é possível procurar preços de combustível por região. O ideal é que o consumidor pesquise antes de sair para abastecer.

Respeite a troca de marchas
Procure trocar as marchas sempre na rotação correta, mantendo o giro do motor compatível à marcha escolhida.

Mantenha a manutenção em dia
A manutenção em dia evita que o motor consuma mais combustível que o necessário, além de aumentar a vida útil do componente. É importante checar regularmente e, se necessário, trocar os filtros de ar, de óleo, de combustível e fazer a substituição das velas.

Uso do ar-condicionado
O uso do ar condicionado está ligado diretamente ao consumo de combustível, já que o equipamento é operado pelo motor. Carros com menor cilindrada gastam mais com o ar ligado. Por isso, use o ar apenas quando realmente for necessário.

Não acelere com o carro desengatado
Aquecer o motor antes de sair, hoje em dia, se tornou desnecessário, já que os propulsores contam com injeção eletrônica. O sistema atual dá conta de fazer o carro andar mesmo no frio. Para modelos flex, lembre-se de abastecer o tanquinho de partida a frio. Além de gastar combustível à toa, esquentar o motor num carro com injeção eletrônica pode desgastar as peças e diminuir sua vida útil.

Evite levar muito peso no carro
Estar sempre com carro cheio também contribui para aumentar o gasto de combustível. Cargas superiores a 10 quilos já influenciam no consumo, pois o motor terá que fazer mais força para colocar o veículo em movimento. Procure levar no carro somente o que precisar, evitando guardar malas, coisas pesadas etc.

Verifique a pressão dos pneus
Circular com os pneus em boas condições é essencial para economizar combustível. Pneus murchos influenciam diretamente no rendimento do veículo, pois geram mais atrito com a via.

Mantenha o alinhamento e o balanceamento em dia
O alinhamento correto faz com que os pneus se desgastem menos e o balanceamento evita trepidações ao rodar. Além disso, previnem o aumento do atrito dos pneus no solo além do necessário e não deixam que o veículo perca desempenho.

Não acelere com o carro parado no semáforo
Quando estiver parado no semáforo, a aceleração é desnecessária e contribui para esvaziar o tanque mais rápido. Outra prática que ajuda na economia é sempre ir observando o trânsito à frente e, ao notar que o tráfego vai parar, desacelere o veículo aos poucos antes de frear. Com o carro engrenado, mas sem acelerar, a injeção eletrônica envia menos combustível ao motor.

Evite acelerar e frear bruscamente
Dirigir de maneira agressiva, além de ser perigoso, também não é interessante quando o objetivo é economizar combustível. Para prevenir o desgaste do motor, é importante trocar as marchas de forma suave e medir a força do pé no acelerador para não desperdiçar combustível.

Mantenha uma velocidade constante
O trânsito intenso das grandes cidades também contribui para que o combustível vá embora mais rápido, já que é muito comum andar e parar a todo instante. As acelerações e freadas exigem mais do motor e aumentam o consumo.

Deixar o carro no ponto morto em descidas
Apesar de muita gente acreditar que é econômico deixar o carro em ponto morto, essa pratica não é recomendada por uma questão de segurança. Se o carro estiver desengatado e sem auxílio do freio-motor, o sistema de freio será mais exigido e poderá falhar. Nesse caso, a dica é deixar o carro engatado na marcha mais alta, mesmo sem acelerar.

Comentários