Em aceleração descontrolada

Rio é um dos estados em que os casos do novo coronavírus devem disparar

Por

O Ministério da Saúde informou ontem que Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará, Amazonas e o Distrito Federal estão em transição para a fase de "aceleração descontrolada" da pandemia do novo coronavírus. O aumento no número de casos nesses locais se justifica pela grande quantidade de viagens internacionais.

"Estamos em transição, isso ainda não está acontecendo, mas já era esperado que iria acontecer, principalmente nesses estados onde a relação com viagens internacionais é maior", explicou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis.

De acordo com o ministério, a epidemia tem quatro fases: localizada, aceleração descontrolada, desaceleração e controle. A última atualização no número de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus no país registrou 10.278 casos confirmados e 431 mortes.

Somente nas últimas 24 horas, o Ministério da Saúde registrou no Brasil 1.222 casos da Covid-19 e 72 óbitos. De acordo com o boletim divulgado, 81% dos casos de óbitos são de pessoas acima de 60 anos e mais de 70% têm ao menos um fator de risco.

O Ministério da Saúde recomendou aos governos estaduais que implementaram medidas de restrição de circulação da população a mantê-las até que o suprimento de equipamentos e profissionais seja suficiente para atender aos infectados.

Isolamento deve ser mantido

Segundo Gabbardo, medidas de restrição e distanciamento social têm ajudado a estruturar a rede de saúde no país: "O Brasil teve a sorte que outros países não tiveram. Estamos tendo tempo para nos preparar. O isolamento é importante para ganharmos tempo para nos estruturar e evitar que as pessoas fiquem doentes ao mesmo tempo".

O período de maior incidência da Covid-19 deve ocorrer dentro de algumas semanas e, de acordo com o Ministério da Saúde, não é possível prever o número de casos nestes estados. "Não temos a capacidade de prever quantos casos teremos, só sabemos que haverá um aumento nas próximas semanas", afirmou Gabbardo.

O secretário-executivo do Ministério da Saúde disse ainda que o Brasil deve ser o país que mais teve testagem em fase de contaminação em larga escala. "Estamos começando com um número de testes muito maior do que qualquer outro país teve. Estamos nos preparando", garantiu Gabbardo.

Comentários