Após queda da Selic, bancos reduzem as taxas de juros

Com a queda da Selic para 2% ao ano, BB, Itaú e Bradesco mexem das linhas de crédito

Por Marina Cardoso

Rio - Coronavirus - 24/06/20 - Covid19 -  - Coronavirus -  Fachada do Banco do Brasil,na Avenida Rio Branco,142..  Fotos: Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Rio - Coronavirus - 24/06/20 - Covid19 - - Coronavirus - Fachada do Banco do Brasil,na Avenida Rio Branco,142.. Fotos: Estefan Radovicz / Agencia O Dia -

Brasil - Após a queda da taxa Selic, indicador básico de juros da economia, que caiu para 2% ao ano, anunciado na quarta-feira pelo Comitê de Política Monetária (Copom), os bancos resolveram reduzir também os juros de diversas linhas de crédito, como crédito imobiliário e empréstimo pessoal. Entre eles estão Itaú, Banco do Brasil e Bradesco. As novas condições nas três instituições financeiras começam a valer a partir de segunda-feira.

O BB, por exemplo, vai reduzir as taxas de juros para linhas de crédito de pessoas físicas e jurídicas. No caso de pessoa física, terá queda os juros do crédito imobiliário (SFH e CF), que vão passar a partir de 6,59% ao ano ante os 6,99% atuais.

Para o home equity (empréstimo com garantia de imóvel) e o crédito estruturado (também com garantias), as taxas serão alteradas nos patamares mínimos de 0,78% e de 0,75% ao mês, respectivamente, em lugar dos 0,82% e 0,77% ao mês praticados até aqui.

Para empresas, as linhas de recebíveis - descontos de títulos e cheques, além da antecipação de crédito ao lojista (ACL) - vão passar a contar com taxas a partir de 0,66%, 1,05% e 0,72% ao mês.

PERFIL DO CLIENTE

No Itaú Unibanco, a mudança é válida para a taxa de empréstimo pessoal no caso de clientes pessoa física, e para o capital de giro, no caso de pessoa jurídica. Segundo o banco, os novos valores podem variar de acordo com o perfil do cliente e de seu relacionamento.

Bradesco também vai reduzir a taxa de suas principais linhas de crédito, mas não informou quais são as que terão queda no percentual.

 

Comentários