Luiz Antonio Varela DonelliReprodução

O advogado Luiz Antonio Varela Donelli anda às voltas com situações que chamam a atenção sob a ótica da lei e da ética profissional. Fonte próxima do jornal indica mais uma atuação que fere a ética profissional da Advocacia.
Neste caso concreto, assessorando clientes em operações irregulares na realização de assembleias de acionistas, resultando em elaboração de atas falsas levadas, inclusive, a registro na junta comercial.
O jornal recebeu a notícia de que importantes clientes do advogado Luiz Antonio Varela Donelli, Jose Luiz Abdalla e José David Breveglieri Xavier, são alvos de investigação policial num caso que envolve falsidade ideológica e estelionato. José David, inclusive, vem fugido das intimações da polícia e Justiça ao longo do tempo.
Num outro episódio, o advogado foi acusado por seu ex-sócio de concorrência desleal, desviando clientes, e de malversação de despesas incorridas com clientes sem que houvesse contrato e que, posteriormente, foram levados para sua nova sociedade.
Outro cliente polêmico do advogado, é a empresa Peixe Urbano, site de cupons de desconto, que de uma hora para outra fechou o site, as portas e a comunicação com clientes e fornecedores. Clientes reclamam ao Procon que perderam acesso para resgatar as ofertas.
Sobre José David Breveglieri Xavier
Em maio deste ano, ele foi exonerado da Prefeitura de Valinhos, município do interior de São Paulo, após apenas seis meses no cargo. A carreira do ex-secretário é recheada de denúncias de assédio moral e irregularidades. José David chegou a ser denunciado por funcionários e ex-colaboradores do parque de diversão em que atuava como presidente.
Os funcionários afirmaram que o empresário os colocavam em situações humilhantes de forma frequente. Os relatos foram registrados no Sindicato dos Empregados e Trabalhadores nas Empresas de Entretenimento, Casas de Diversões e Similares dos Municípios de Jundiaí e Região (Sindiversão) e no Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversões do Estado de São Paulo (Sated).
Um dos funcionários do parque, identificado apenas como J.Y., disse que Xavier o socou no estômago após ter se atrasado para chegar ao local em que as imagens de um evento seriam gravadas. Em um vídeo, é possível ouvir o ex-presidente gritando com um colaborador.
Também há relatos como o de uma nutricionista que pediu demissão após ser destratada, assim como dois gerentes, chamados de "viadinho" e "bosta". Outro depoimento foi dado por uma caixa que trabalhou em um evento. Ela conta que sofreu assédio moral ao dizer a Xavier que não poderia aceitar cartão, pois a máquina não estava funcionando.
Xavier, acompanhado de seguranças, gritou contra a caixa e mandou ela colocar as mãos para cima, além de ter pedido que assessores filmassem a cena. Segundo a mulher, ele desconfiava que as caixas faziam "vendas frias". Ao fim, todo o dinheiro foi contado e o valor bateu com o que havia sido vendido.
Sobre José Luiz Abdalla
José Luiz Abdalla não costuma brincar em serviço. Em maio de 2020, por exemplo, pesa sobre Abdalla a denúncia de que tirou proveito de um rentável evento de uma igreja cristã protestante em seu empreendimento para embolsar R$ 50.915,00.
Detalhe: o montante estava reservado para pagar fornecedores de um parque, que estavam há meses sem receber. Pior: a quantia seria suficiente para pagar os salários atrasados, na época, de 30 humildes funcionários. O empresário teria até assinado recibo no ato do pagamento.
O empresário chegou, no fim de 2017, a entrar com uma petição na Justiça para tirar Xavier da presidência do parque de diversão. Abdalla alegava que não tinha acesso às informações financeiras da empresa e que só conseguiu entrar no parque após boletim de ocorrência. Já Xavier acusava o acionista de chantageá-lo. Em março de 2018, Abdalla entrou no parque com seguranças e protagonizou um desentendimento generalizado com funcionários do parque, com direito inclusive a empurra-empurra com o então presidente.
Não se sabe se por conta de algum alinhamento econômico, na linha toma lá, dá cá entre a criatura e o criador, Abdalla e Xavier hoje se encontram do mesmo lado.