Plataforma de ensino a distância do governo federal teve mais de 417 mil matrículas

Aplicativo do Ministério do Trabalho é gratuita e conta com cursos online desenvolvidos pela UnB

Por O Dia

Equipe responsável pela Escola do Trabalhador divulga resultados e anuncia metas para os próximos, que incluem aperfeiçoamento do site
Equipe responsável pela Escola do Trabalhador divulga resultados e anuncia metas para os próximos, que incluem aperfeiçoamento do site -

O programa Escola do Trabalhador apresentou os resultados dos primeiros seis meses de atividade, em seminário na Universidade de Brasília (UnB), na última terça-feira. A plataforma de ensino a distância do Ministério do Trabalho, desenvolvida em parceria com a UnB, teve 417.680 matrículas nos 21 cursos online oferecidos de forma gratuita. Na apresentação, a equipe responsável pela iniciativa anunciou que, até o fim do ano, serão 50 cursos no total.

Segundo Higino Brito Vieira, diretor de políticas de empregabilidade do Ministério do Trabalho, 49% dos usuários matriculados na Escola do Trabalhador se declaram desempregados. "Enxergamos na ferramenta uma forma de influenciar positivamente no atual cenário de desemprego. É uma maneira de atendermos aqueles buscam se recolocar no mercado ou os querem melhor o currículo para obter novos posicionamentos na área em que atuam", diz Higino Vieira.

Dos 21 cursos disponíveis, os mais procurados foram os de Inglês aplicado ao trabalho, Introdução ao Excel, Segurança da informação, Fundamentos e processos de gestão de Recursos Humanos e Edição e tratamento de imagens. "De uma forma geral, são cursos com uma abrangência maior, que podem ser úteis para profissionais de diversos setores", explica Vieira.

DIPLOMAS

Os seis meses de funcionamento marcam a primeira avaliação do programa, que teve conteúdo desenvolvido e certificado pela UnB. A universidade oferece diploma aos participantes que concluírem as aulas. A emissão dos documentos foi uma das deficiências detectadas pela equipe que coordena o programa.

"Temos consciência das dificuldades que os usuários estão enfrentando. E estamos trabalhando com prioridade máxima para resolver todos os problemas a longo prazo. A plataforma está em constante aprimoramento", garante Vieira.

ACESSO

Os 21 cursos da Escola do Trabalhador estão disponíveis no site https://escola.trabalho.gov.br. Eles são gratuitos e não há pré-requisitos para a inscrição. Também não há exigências quanto à escolaridade dos alunos. Os cursos compreendem 12 eixos de ensino, como Informação e comunicação, Gestão e negócios e Produção cultural e design.

PESQUISA

Há três meses, foi implantada uma pesquisa de satisfação junto aos alunos. Ao fim dos cursos, eles preenchem formulários, que irão auxiliar no aperfeiçoamento da plataforma de ensino a distância.

Comentários

Últimas de Empregos e Negócios