Luz, câmera, educação

Oficina gratuita da Fundação Getulio Vargas irá capacitar professores do Ensino Fundamental e Médio para aplicar o audiovisual em sala de aula

Por Bernardo Costa

O último módulo será prático, com a montagem dos filmes a partir dos roteiros criados pelos professores
O último módulo será prático, com a montagem dos filmes a partir dos roteiros criados pelos professores -

Com os jovens cada vez mais ligados às tecnologias digitais, tornar o aprendizado atraente com utilização de novas mídias é uma necessidade em sala de aula, e também um desafio para o professor. Experiências atuais que aplicam material audiovisual na educação serão compartilhadas em oficina gratuita oferecida pela Fundação Getulio Vargas (FGV). As aulas, com inscrições abertas até o dia 15 de março, terão módulo prático, com capacitação para que o docente possa criar filmes com base no acervo histórico da Escola de Ciências Sociais/CPDOC da FGV. As vagas são para professores de qualquer disciplina, que atuem em turmas de Ensino Fundamental ou Médio, na rede pública ou privada. 

"A ideia é que, a partir da produção deste curta-metragem com base em nosso acervo, os professores participantes possam atuar com autonomia para utilizar o audiovisual nas escolas. O que pode ser feito com poucos recursos, com celular ou aplicativos de edição, por exemplo", diz Thais Blank, uma das coordenadoras da oficina 'Audiovisual em sala de aula: ensino e realização', iniciativa inédita da FGV.

Junto com Vivian Fonseca, que também coordena a oficina, Thais Blank será responsável pela parte prática das aulas: o último módulo, em que os professores serão apresentados ao acervo da instituição e conhecerão as técnicas para desenvolver um roteiro cinematográfico. Ao final do processo, a turma se reunirá em grupos para realizar dois curtas-metragens documentais, de cerca de 15 minutos de duração, a partir dos roteiros apresentados pelos professores aos organizadores da oficina: 

"Nessa fase, eles irão trabalhar ao lado dos funcionários do CPDOC, que serão responsáveis por funções técnicas como a edição dos filmes. Mas a concepção dos documentários será dos professores, a partir do aprendizado sobre como utilizar o audiovisual para engajar e atrair mais os alunos na apresentação de um tema histórico".

Thais cita propostas de abordagem:

"O legal é que o filme seja utilizado como um dispositivo de tarefas para os alunos. Podem ser exibidos filmes curtos, para que, em seguida, todos questionem o que foi mostrado, com o entendimento de que ele mostra um ponto de vista, não a verdade", diz.  

SALA DE AULA INVERTIDA

Claudia Costin, diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais (Ceipe) da FGV/Ebape, chama atenção para o modelo de sala de aula invertida. Nele, o alunos teriam como dever de casa a tarefa de assistir a um vídeo, para aprofundá-lo em sala de aula com o professor, que se tornaria um 'assegurador de aprendizagem'.

"Na Matemática, por exemplo, o professor pode indicar um vídeo de algum youtuber sobre determinada fórmula. E, na sala de aula, aplicá-la a diferentes situações do dia a dia dos alunos, estabelecendo nexos com a realidade", diz Claudia Costin, que foi secretária municipal de Educação do Rio entre 2009 e 2014.

COMO SE INSCREVER

REALIZAÇÃO

A oficina 'Audiovisual em sala de aula: ensino e realização' acontecerá entre os dias 4 e 29 de abril, na sede da FGV, na Praia de Botafogo 190. 

SELEÇÃO

Para participar do processo seletivo, os professores devem encaminhar carta de motivação, currículo vitae e comprovante de vínculo profissional pelo site https://cpdoc.fgv.br/parj. A lista com os aprovados será anunciada no site do CPDOC até o dia 20 de março.

PALESTRAS

Além de Thais Blank e Vivian Fonseca, que darão aula sobre técnicas de roteiro, os professores Isaac Pipano (UFF) e Karen Rechia (UFSC) darão palestras sobre experiências bem-sucedidas que aliam audiovisual e educação. 

ACERVO

Os filmes concebidos pelos professores irão utilizar material de arquivo do CPDOC, como cartas, filmes, entrevistas e documentos que pertencem ao acervo pessoal de personalidades como Getúlio Vargas, João Goulart, Anísio Teixeira e Café Filho.

Galeria de Fotos

O último módulo será prático, com a montagem dos filmes a partir dos roteiros criados pelos professores Divulgação
As aulas serão realizadas no mês de abril, na sede da FGV, em Botafogo Divulgação
Na etapa teórica, especialistas irão expor boas práticas de utilização de filmes no aprendizado escolar Divulgação

Comentários