Partido de Marina Silva, Rede deve se fundir com o PV - NELSON ALMEIDA/AFP
Partido de Marina Silva, Rede deve se fundir com o PVNELSON ALMEIDA/AFP
Por ESTADÃO CONTEÚDO

Rio - Os candidatos a presidente Marina Silva (Rede) e a vice-presidente da chapa, Eduardo Jorge (PV), fizeram nesta terça-feira, uma tumultuada caminhada pelo calçadão do bairro Campo Grande, na zona oeste do Rio, quando defenderam a eleição de "pessoas de bem" e não os "extremistas" que ocupam os primeiros lugares na preferência do eleitorado. Em quinto lugar, com 4% na última pesquisa do Ibope, divulgada na noite desta segunda-feira, Marina afirmou que estará no segundo turno com Jorge e que, por isso, não declararia apoio agora a nenhum outro candidato em caso de derrota neste domingo.

De acordo com ela, o eleitor é suficientemente inteligente para escapar da armadilha entre o que considera duas candidaturas em que há extremismo, dos candidatos a presidente Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL). "Não vamos ficar entre a cruz da corrupção do PT e a espada da violência de Bolsonaro", disse, ao caminhar.

"Vocês vão ter uma surpresa, vamos estar no segundo turno", afirmou. Marina defendeu a própria candidatura por conter propostas voltadas para quem realmente "precisa", ao destacar o programa Renda Jovem, que pretende fazer uma poupança para as crianças do Bolsa Família entre 15 e 19 anos, com o objetivo de reduzir a evasão escolar no Ensino Médio.

Você pode gostar