Presidente do PT e deputada federal, Gleisi Hoffmann (PR) - Edilson Rodrigues/ Agência Senado
Presidente do PT e deputada federal, Gleisi Hoffmann (PR)Edilson Rodrigues/ Agência Senado
Por ESTADÃO CONTEÚDO

São Paulo - Lideranças petistas criticaram nesta terça-feira, o movimento de partidos de esquerda para articular um bloco de oposição sem o PT no Congresso Nacional. A construção é discutida entre PDT, PSB e PCdoB. "Eu não acredito que o foco principal desses partidos seja excluir o PT porque acho que estamos vivendo uma situação bem dramática para qualquer ator ser excluído de um processo", disse em coletiva de imprensa a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann.

Ela ainda criticou a possibilidade de o movimento ter o objetivo de dar protagonismo a Ciro Gomes (PDT) na liderança da oposição ao presidente eleito, Jair Bolsonaro. "Acho que não é isso que nos move, o protagonismo da oposição. Tem que nos mover o que nos concilia, o que temos de mais importante que é a resistência "

Para o deputado José Guimarães (PT-CE), é impossível excluir do bloco o partido que teve 47 milhões de votos no segundo turno da eleição presidencial. "Como é que vão excluir o PT? Eu nunca vi um negócio desse. Acho que essa conversa é de quem está no mundo da lua", atacou. Mais cedo, ele havia defendido que Haddad encabece a oposição no país. "Esqueça Ciro Gomes", disparou.

Você pode gostar