Candidata à Prefeitura do Rio pelo PROS, Clarissa Garotinho, no Complexo da Maré - Divulgação
Candidata à Prefeitura do Rio pelo PROS, Clarissa Garotinho, no Complexo da MaréDivulgação
Por O Dia
A candidata à Prefeitura do Rio pelo PROS, Clarissa Garotinho, conversou, na manhã deste sábado, com moradores do Complexo da Maré e com frequentadores do Restaurante Popular João Goulart, em Bonsucesso, que atende principalmente a moradores da comunidade.
Clarissa ouviu muitas reclamações sobre saúde, transporte e moradia, além de pedidos para que dê mais atenção à educação, caso seja eleita. Outro ponto que preocupa os eleitores é a falta de empregos e de oportunidades, já que a crise econômica provocada pela pandemia atingiu em cheio os trabalhadores.

“A cidade do Rio de Janeiro está largada, e o abandono é maior dentro das comunidades carentes. A pobreza aumentou na nossa cidade. Apresentarei dois programas muito importantes para a população. Um deles é o Renda Rio, com um benefício de R$ 600, nos moldes do auxílio emergencial (do governo federal). O outro é a criação de cooperativas de trabalho nessas comunidades, voltadas especialmente para mulheres, gerando renda e oportunidades”, afirmou a candidata.

Segundo Clarissa, os dois programas são fundamentais para fomentar a economia do Rio. Em seu programa de governo, ela apresenta outras propostas, como a desburocratização do licenciamento para pequenas empresas, a regularizações dos trabalhadores ambulantes e a criação de linhas de microcrédito para empreendedores.

"É assim que vamos recuperar a economia: legalizando quem está nas ruas, oferecendo crédito a juros baixos, investindo em inovação e criando cooperativas nas comunidades, em especial para as mulheres. Há muitas agências internacionais que oferecem dinheiro a fundo perdido para projetos que garantam o sustento das mulheres. Vamos usá-los”, disse.

No restaurante popular, Clarissa lembrou que a unidade de Bonsucesso — bem como as de Campo Grande e Bangu — foi reaberta quando ela era secretária municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação. Caso seja eleita prefeita da cidade, a candidata vai botar para funcionar os restaurantes de Madureira, Cidade de Deus, Méier e Central do Brasil. Somente na unidade João Goulart, são servidas duas mil refeições por dia.

“Também quero conversar com a Supervia para retomar a parceria e voltar a oferecer café da manhã nas estações de trem”, finalizou a candidata.