Dilma faz campanha com Pezão e Lindberg

Presidenta vai com o governador à Maré e depois faz carreata em São Gonçalo com o candidato petista

Por thiago.antunes

Rio - No mesmo dia em que Dilma Rousseff (PT) exaltou a parceria com o PMDB no Rio, ao lado do governador e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), a presidenta fez pela primeira vez atividade de campanha com Lindberg Farias, candidato de seu partido ao governo do estado. Antes, ela já havia encontrado com Pezão e Anthony Garotinho (PR).

A presidenta ressaltou, nesta sexta-feira, a união com Pezão no auxílio do governo do estado no envio de tropas do Exército para a implantação das UPP’s, em visita ao Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR), perto da comunidade da Maré.

Na visita ao Complexo da Maré%2C a presidenta Dilma Rousseff assinou documento que determina a permanência do Exército na região até dezembroCarlo Wrede / Agência O Dia

Lá, ela assinou o acordo de permanência dos soldados no local até o fim de dezembro, quando o governador pretende implantar uma UPP na comunidade. “Tenho muito orgulho, Pezão, de ter participado com você em todos os processos que conduziram a esse nível de integração entre nós”, disse a presidenta. “Tenho que reconhecer a qualidade da parceria, que resultou também como uma experiência que nós podemos ter certeza que podemos aplicar”, completou Dilma, que também declarou que pretende levar centros de comando e controle para os 27 estados.

A presidente também lamentou a morte do comandante da UPP Nova Brasília, no Complexo do Alemão, capitão Uanderson Manoel da Silva, na quinta-feira. “Uanderson faz parte desse imenso esforço feito para que nós tenhamos uma nova segurança pública, um padrão de qualidade de segurança pública diferenciado. Honrar a memória do major Uanderson é nunca desistir. A certeza que todo mundo pode ter é que nós iremos continuar determinados a enfrentar o crime organizado”, disse.

A presidenta Dilma Rousseff%2C acompanhada de Lindberg Farias%2C fez carreata em Alcântara%2C São Gonçalo%2C depois de ir ao Complexo da MaréO São Gonçalo

Já Pezão prometeu 400 PMs a mais na Baixada Fluminense , sendo 200 em Nova Iguaçu, a partir desta segunda, e aproveitou para alfinetar Garotinho (PR). “Há vinte anos atrás tivemos um governador (Leonel Brizola) que colocou horário integral nas escolas, principalmente nas comunidades. Se nos tivéssemos acreditado nos projetos dos Cieps, não estaríamos prendendo tantos bandidos hoje”.

Os dois meses de espera de Lindberg por Dilma se resumiram a apenas 30 minutos de campanha ontem, pelas ruas de São Gonçalo. Patinando nas pesquisas, Lindberg contava com a ajuda da presidenta para tentar sobrevida nesta reta final. Em breve discurso, a presidenta não pediu votos para o petista, e acabou sendo ela quem pediu auxílio aos seus eleitores “para que a verdade vença a mentira”. “A verdade é que esse país mudou. Tenho certeza que vocês vão saber de que lado eu estou e de que lado estão meus adversários.”

Em quarto lugar, petista quer ajuda da presidenta

Para se aproximar dos líderes nas pesquisas, Lindberg Farias (PT) pretende realizar mais atividades de campanha com Dilma. “Vamos tentar fazer outra agenda juntos. Hoje foi muito bom, e acontece num momento em que a gente quer tentar a virada nessas eleições”, disse.

Os quatro principais candidatos ao governo do Rio fazem parte da base aliada de Dilma. Por isso, ela evitou atacar diretamente Pezão(PMDB), Garotinho(PR) e Marcelo Crivella (PRB), rivais de Lindberg, e não pediu votos para o petista. O senador voltou a criticar seus adversários. “Temos que chamar o povo do Rio a uma reflexão. Não merecemos Garotinho, e Pezão é a continuidade do governo Sérgio Cabral”.

Nesta segunda-feira, os candidatos devem subir juntos ao mesmo palanque, em ato em defesa do pré-sal e da Petrobras. “O presidente Lula me ligou e me convidou. Não tem hipótese dele vir ao Rio e eu não estar com ele”, disse.

A presidenta preferiu não fazer críticas aos adversários do PT na campanha ao governo do estado e dedicou-se a lembrar das realizações de seu mandato. Lindberg foi pouco elogiado, mas sobrou carinho para deputados petistas, especialmente para o ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc, que chegou em meio ao discurso da presidenta. “Olha aí o nosso Minc, velho de guerra. Chega mais”, exclamou, enquanto o deputado saia do carro.Por conta do tumulto, houve empurra-empurra e alguns comerciantes fecharam as portas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia