Sucesso na Firjan: empresários aplaudem Marina Silva

Presidenciável exalta conquista da pluradidade política como obra dos democratas, inclusive alguns militares, e se compara a Mandela

Por bferreira

Rio - A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, foi recebida ontem em clima festivo por 300 empresários no evento ‘Visões de Futuro’ na Federação das Indústrias do Rio (Firjan). Aplaudida diversas vezes, a ambientalista aproveitou o evento para fazer um aceno aos militares que na última semana chegaram a anunciar apoio à sua candidatura. Marina afirmou que a pluralidade política atual também é uma conquista dos militares que ajudaram na transição da ditadura rumo à democracia.

Marina%3A "Existem pessoas boas e corretas em todos os lugares"Thiago Lara / Agência O Dia

“Reconquistamos a nossa democracia com um feito de todos os democratas, de todos os partidos. É algo tão grandioso que nem dá para alguém reivindicar a sua autoria. É algo que nós temos que dividir a autoria, a realização, o reconhecimento como um feito de todos os democratas do Brasil, de diferentes partidos e segmentos, inclusive, de alguns militares que dentro do sistema ajudaram a fazer a transição democrática porque como eu digo pessoas boas, honestas, competentes existem em todos os lugares”, disse Marina.

Na semana passada, o Clube Militar anunciou apoio à ex-ministra do Meio Ambiente, chamando sua candidatura de “Fio de Esperança”. Na segunda-feira, porém, o clube retirou o apoio anunciando voto em Aécio Neves (PSDB) por considerá-lo o “menos pior”.

Marina Silva reclamou diversas vezes que os adversários políticos têm recorrido a calúnias e boatos para prejudicar seu crescimento nas pesquisas de intenção de voto. A socialista admitiu que a campanha está muito difícil, mas disse que nunca esteve “tão animada”. Em seguida citou pessoas que a inspiram como o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela, morto no ano passado. “Mandela ficou 25 anos na prisão. Eu pergunto: vocês sabem o nome de seus algozes?”, questionou Marina. Na sequência, respondeu: “Não sabemos, é preciso pesquisar. Todo mundo sabe quem é Mandela. Mas houve um tempo que para seu povo ele era vendido como se fosse o ‘supremo mal’. Luther King, Gandhi, a mesma coisa”, finalizou Marina.

Candidata revida os ataques

Os ataques petistas e tucanos têm feito a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, subir o tom e aumentar a artilharia contra os adversários.

Segundo cientistas políticos, coordenadores de campanha da pessebista decidiram partir para a ofensiva por conta das recentes pesquisas de intenção de voto, que indicam queda de Marina.

“Ela não costuma ser agressiva, mas está batendo em resposta aos ataques que sofreu, que foram responsáveis pelo freio no crescimento de sua candidatura. O PSB está preocupado com a perda de fôlego”, avaliou Geraldo Tadeu, do Iuperj.

“Estamos numa situação em que bater tem dado resultado. Dilma bateu, e o crescimento de Marina diminuiu. Agora, é Marina quem bate para evitar subida de Dilma.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia