Mais Lidas

Grupo de Eike vence licitação e administrará Maracanã por 35 anos

Estádio será administrado por empresários

Por pedro.logato

Rio - O consórcio formado pela Odebrecht Participações e Investimentos S.A., IMX Venues e Arena S.A., de propriedade de Eike Batista, e AEG Administração de Estádios do Brasil LTDA venceu o processo de licitação do Complexo do Maracanã, de acordo com o anúncio feito pelo governo do Rio de Janeiro nesta quinta-feira.

Maracanã será administra por grupo de Eike Divulgação

O "Consórcio Maracanã" irá administrar o estádio pelos próximos 35 anos a partir do final da Copa dos Confederações. A licitação foi aprovada por unanimidade e superou o "Consórcio Complexo Esportivo e Cultural do Rio de Janeiro", composto pela Construtora OAS S.A., Stadion Amsterdam N.V. e Lagardère Unlimite.

A previsão é que o processo seja encaminhado para a homologação do secretário da Casa Civil do Rio de Janeiro, Régis Fichtner, até a próxima sexta-feira.

Proibidos de participar diretamente do processo de licitação, os clubes de futebol deverão negociar com o grupo vencedor, de acordo com o edital, para o uso do Maracanã. O consórcio ainda terá compromisssos com a demolição do estádio de Atletismo Célio de Barros e o parque aquático Julio Delamare, além da remodelação do Museu do Índio, que será o Museu Olímpico, e a construção de centros esportivos de atletismo e natação no entorno do estádio.

Do lado de fora do Palácio Guanabara, onde o anúncio foi feito, pessoas protestaram contra a licitação do estádio e criticando o governador Sérgio Cabral, o prefeito Eduardo Paes e o empresário Eike Batista.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia