Pezão volta à realidade após derrota e Cigano mira o cinturão

A noite foi de resultados opostos para os amigos brasileiros

Por pedro.logato

Estados Unidos - Havia uma pedra no caminho de Antônio Pezão. Ou melhor, uma parede chamada Cain Velasquez. O campeão dos pesados mostrou porque detém o cinturão da principal categoria do MMA e impôs um nocaute técnico doloroso ao brasileiro, na noite de sábado. Mas o UFC 160, no MGM Arena, em Las Vegas, acabou tendo saldo positivo: Junior Cigano derrotou Mark Hunt com chute rodado espetacular e será o próximo desafiante na divisão. Glover Teixeira triunfou sobre James Te-Huna com uma guilhotina, aos 2min28s, e sobe entre os meio-pesados.

Ao som da música Lado B, Lado A, da banda carioca O Rappa, Pezão pisou no octógono com o corpo fechado, como dizia a letra. Mas havia um abismo entre ele e o campeão. Bastou que a mão de Velasquez entrasse uma vez, com 1min21s, para que o sonho virasse pesadelo. Agora ele vai ter que se inspirar ainda mais na melodia, sendo guerreiro e trabalhador, para não ficar pelo caminho.

Cigano acerta chute para derrubar HuntDivulgação

"Só penso em trabalhar para ter uma nova chance no UFC o mais cedo possível", comentou, desapontado com a atitude do árbitro. Na opinião de Pezão, Mario Yamasaki errou ao paralisar a luta quando ele ainda se defendia. "Quando o atleta faz uma coisa errada, é punido. Acho que o árbitro tem que ser punido também. Tomei várias pancadas na nuca e ele não fez nada", reclamou.

Presidente do Ultimate, Dana White engrossou o coro, aumentando a polêmica. "Adorei a ideia de punir árbitros. Yamasaki é o menor árbitro do planeta, e foi o juiz de uma luta entre os maiores pesos-pesados do planeta. Isso não faz sentido".

Cigano: "Se ele trocar comigo, não dá pra ele"
Enquanto Pezão lamentava em um canto, Cigano era só sorrisos. Escolhido desafiante de Velasquez após o nocaute espetacular que apagou Mark Hunt, aos 4min18s do terceiro round, ele mostra confiança para disputar o cinturão. Dana White, porém, disse não haver data para a 'trilogia', mas garante que será até dezembro.

"Só preciso de três meses para me preparar e já estarei pronto. Por mim lutava o quanto antes", afirmou, prevendo o confronto. "Adicionei algumas coisas ao meu treino, e o chute rodado foi um deles. Velasquez é duro, mas se ele tentar só trocar comigo, não dá pra ele", decretou Cigano.

Disputa de cinturão na Bahia
O chute ensaiado à exaustão com Glauber Feitosa deu a redenção a Junior Cigano e garantiu a vitória naquele que ganhou o prêmio de combate da noite. Motivado, o catarinense que adotou a Bahia como terra natal, faz lobby por combate contra Velasquez em Salvador e garante que vem mais por aí.

"Tenho uma coisas que treinei muito e nunca usei. Está na hora de colocar em prática. Já usei um pouco do meu jiu-jítsu para confundir o Hunt na luta e o público verá muito mais no próximo combate. espero que seja contra o Cain na Fonte Nova", afirmou.

O catarinense e Mark Hunt levaram US$ 50 mil, cada. TJ Grant ficou com o prêmio de melhor nocaute, após aplicar três knockdowns em Gray Maynard. O bônus de finalização do UFC 160 foi para Glover Teixeira.

Glover próximo do title shot
Com a quarta vitória consecutiva nos meio-pesados do Ultimate, Glover Teixeira cresce e aparece na divisão. A forma incrível com que finalizou Te-Huna com uma guilhotina denota o potencial do mineiro que, segundo Dana White, precisa de mais uma ou duas lutas para o title shot (luta que o credencia para disputar o cinturão).

E a finalização foi tão empolgante que levou o ídolo do boxe Mike Tyson ao octógono ao fim do combate. Enlouquecido, Glover agradeceu a oportunidade de ter conhecido o mito e está pronto para um desafio ainda maior na carreira.

"Fiquei emocionado ao ser cumprimentado por Tyson, vi muitos videos dele e sempre me espelhei nele. Obrigado, UFC, pela chance", agradeceu, completando. "Enfrento quem o Ultimate colocar no meu caminho e disputar o cinturão é minha meta", frisou.

Griffin se aposenta
Ex-campeão dos meio-pesados, Forrest Griffin, de 33 anos, anunciou neste sábado a aposentadoria e, ao lado de Stephan Bonnar, ganhará espaço no Hall da Fama do UFC. Os dois protagonizaram uma luta épica, em 2005, quando Griffin se sagrou campeão da primeira edição do TUF americano.

Briga pelo cinturão
O nocaute técnico avassalador de TJ Grant sobre Gray Maynard rendeu ao canadense a oportunidade de disputar o cinturão dos pesos-leves contra Ben Henderson. O duelo ainda não está marcado, mas será ainda este ano em localk a ser definido.

Torcida animada
A torcida brasileira deu um show nas arquibancadas e incentivou os compatriotas como se eles estivesse lutando em casa. O coro de "vai morrer" lembrou muito as primeiras edições cariocas do Ultimate, quando a galera acuava os americanos em seu território.

Resultados:
Card Principal
Cain Velásquez venceu Antônio Pezão por nocaute técnico a 1min21s do primeiro round
Junior Cigano venceu Mark Hunt por nocaute aos 4min18s do terceiro round
Glover Teixeira venceu James Te-Huna por finalização aos 2min38s do primeiro round
TJ Grant venceu Gray Maynard por nocaute técnico aos 2min07s do primeiro round
Donald Cerrone venceu KJ Noons por decisão unânime dos jurados
CARD PRELIMINAR
Mike Pyle venceu Rick Story por decisão dividida dos jurados
Dennis Bermudez venceu Max Holloway por decisão dividida dos jurados
Robert Whittaker venceu Colton Smith por nocaute técnico aos 41s do terceiro round
Khabib Nurmagomedov venceu Abel Trujillo por decisão unânime dos jurados
Stephen Thompson venceu Nah-Shon Burrell por decisão unânime dos jurados
George Roop venceu Brian Bowles por nocaute técnico a 1min43s do segundo round
Jeremy Stephens venceu Estevan Payan por decisão unânime dos jurados

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia