Argentina ou Itália? Papa Francisco: 'Será difícil torcer por uma ou outra'

Pontífice recebe jogadores das duas seleções no Vaticano

Por fabio.klotz

Itália - Fã de futebol e homenageado no amistoso entre Itália e Argentina, o Papa Francisco recebeu, nesta terça-feira, as delegações dos dois países. No Vaticano, o pontífice ficou dividido na hora de dizer por quem vai torcer.

"Será um pouco difícil para eu torcer para uma ou outra equipe, mas por sorte é um amistoso. E que seja verdadeiramente assim, eu vos peço", disse Francisco, brincando com o fato de ser argentino e ter ascedência italiana.

Papa Francisco ganhou elogios de Buffon e MessiEfe

No encontro, na Sala Clementina do Palácio Apostólico do Vaticano, Francisco cumprimentou jogadores como Messi e Balotteli e lembrou os tempos em que assistia às partidas do San Lorenzo, seu clube de coração. O pontífice ainda fez recomendações aos atletas.

"Vocês, queridos jogadores, são muito populares. As pessoas seguem vocês, não só quando estão no campo, mas também fora. É uma responsabilidade social. A verdade é que as organizações nacionais e internacionais profissionalizam o esporte, e tem de ser assim. Mas essa dimensão profissional não deve nunca deixar de lado a vocação inicial de um atleta ou de um time: a de ser apaixonado", afirmou.

Francisco fez sucesso com os jogadores. Melhor do mundo, Messi falou sobre o encontro com Sumo Pontífice.

"É um orgulho estar aqui. É especial para nós que o Papa seja argentino. Foi inesquecível o que vivemos hoje com Francisco e estamos muito agradecidos", declarou.

Capitão da Itália, Buffon elogiou Francisco.

"Com um Papa assim é mais fácil se tornar uma pessoa melhor. Ele nos mostra o caminho e toca nosso coração. Balança a alma", afirmou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia