Márcio Guedes: A terra treme no futebol carioca

Estado pode ter apenas duas equipes na Série A em 2014

Por pedro.logato

Rio - Se Vasco e Fluminense forem rebaixados ou mesmo no caso de cair somente um, vai ficar bem claro para os dirigentes do futebol do Rio que alguma coisa está errada no planejamento e na preparação.

O Vasco afundou em dívidas, passou um tempão tentando regularizar a sua situação e o futebol foi quase sempre relegado a segundo plano. E o Fluminense parece ter se deslumbrado com o título de 2012, não soube manter um mínimo de qualidade e sequer conseguiu se recuperar do fiasco que já tinha sido dado no Estadual. Tudo bem que a lesão de Fred atrapalhou mas perder Deco, Thiago e Wellington Nem de uma só talagada foi dose para elefante. Na situação atual, o Vasco só está melhor do que Flu para tentar escapar porque tem um ponto a mais.

Vasco e Flu estão perto de mais um rebaixamentoAlexandre Brum / Agência O Dia

Além disso, Bahia e Atlético-PR são favoritos nas partidas finais. Se ocorrer o pior, ninguém pode reclamar ou procurar culpados externos. As campanhas foram dolorosamente ruins e cada um vai colher o que plantou.

CAIXA PRETA

É preciso que a caixa preta do Botafogo seja aberta para que o torcedor entenda o que se passa lá dentro. Qual é o papel de Seedorf nessa derrocada final e qual o seu interesse próximo em negociar jogadores para a Itália? O que faz o vice de futebol no clube, uma figura que mais parece um fantasma? E como explicar que todo fim de ano o time se desintegre em condições físicas deploráveis ou o treinador perca sempre o comando. Ninguém aguenta mais ouvir as desculpas esfarrapadas.

CASO À PARTE

Oswaldo de Oliveira cumpre uma carreira acidentada no Botafogo. O ano passado foi péssimo e ele estava inteiramente perdido. Conseguiu no Estadual impor um esquema muito móvel que era baseado na eficiência de Fellype Gabriel e em um tempo em que Seedorf andava interessado. E ainda recuperou Rafael Marques por uns tempos. Mas, a partir das perdas pontuais, ele não conseguiu acertar mais, mesmo com time ainda razoável, mas o sistema defensivo pifou, o ataque sumiu e Oswaldo ficou mortificado, inerte

BELA REAÇÃO

A maior novidade nesta reta final do campeonato é a reação de times de médio porte que pareciam mortos na competição. Até a Ponte Preta, rebaixada, surpreendeu na Sul-Americana e conseguiu a façanha de eliminar Vélez e São Paulo e chegar a uma inédita final. Enquanto isso, Bahia e Criciúma conseguiram dar a volta por cima. Os baianos sob o comando firme de Cristóvão e o Criciúma de Argel por um esforço coletivo e grande apoio da torcida. A Portuguesa também fez ótima chegada.

GRANDE SANTA

O título da Série C foi muito bem ganho pelo Santa Cruz, a maior torcida do Nordeste, que proporcionou rendas sensacionais e públicos que ficaram oscilando dos 30 aos 60 mil pagantes. Talvez seja o momento de uma grande virada para que, daqui a um ano, o Santa volte à elite e como seria bom que pelo menos um clube do Ceará e outro do Pará ganhasse espaço porque aumentariam a emoção e o faturamento.Na campanha do campeão, a figura folclórica do artilheiro Flávio Caça-Rato foi um capítulo à parte.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia