Por bernardo.argento

França - Acostumado a quebrar recordes nas pistas de Fórmula 1, Michael Schumacher enfrenta um enorme desafio pela própria vida. Segundo os médicos que acompanham o grave caso do ex-piloto no Centro Hospitalar de Grenoble, na França, ele está em coma induzido desde domingo, ainda em situação crítica, consequência de um acidente de esqui.

Em casos de traumatismo craniano, como o sofrido por Schumi, a possibilidade de morte varia de 40% a 45%, de acordo com o chefe do serviço de anestesia e reanimação do Hospital de Grenoble.

“São estatísticas e eu não trabalho sobre elas, mas com pacientes. E assim seguiremos. Há pacientes que se recuperam”, disse o médico Jean-François Payen à emissora francesa ‘RMC’.

Schumacher praticava esqui nos Alpes FrancesesEfe

Heptacampeão mundial de F-1, Schumacher sofreu um severo trauma ao chocar a cabeça numa rocha enquanto esquiava na estação de Méribel, onde tem uma casa. Removido de helicóptero ao Hospital Moutier, recebeu o primeiro atendimento e foi transferido para Grenoble, onde passou por cirurgia neurológica de urgência, já que tinha graves lesões no cérebro.

Em coletiva, os médicos e um porta-voz do hospital revelaram detalhes do quadro clínico do alemão e negaram que ele tivesse passado por um novo procedimento cirúrgico. Schumacher será mantido em coma induzido, com a temperatura do corpo em torno de 34°.

“Ele chegou com um grave traumatismo, hematomas intracranianos e um edema difuso. Foi operado com urgência para liberar a pressão em sua cabeça. Infelizmente, tem algumas lesões no cérebro. Sua condição é crítica. Reanimamos o paciente, mas seu estado é muito grave. Estamos fazendo o possível para melhorar seu prognóstico”, informou o médico Jean-Francois Payen.

O corpo de especialistas que acompanha o caso prefere aguardar a evolução de Schumacher para se pronunciar sobre sua possível recuperação. Em relação a sequelas, Jean-Francois Payen afirmou ser impossível fazer um prognóstico neste momento.

Alemão é considerado um dos melhores pilotos de todos os temposReuters

Justiça investiga o caso

Justiça da cidade francesa de Albertville decidiu abrir uma investigação para apurar as circunstâncias que causaram o acidente de esqui envolvendo Michael Schumacher. A promotoria analisará os detalhes do acidente, mas não deu um prazo para a conclusão do caso.

As primeiras provas apontam que o ex-piloto esquiava fora das pistas da estação de Méribel. Segundo a agência de notícias ‘Bloomberg’, ele foi resgatado entre as pistas de Chamois e Biche. Guia na região e esquiador profissional, o alemão Thomas Weller falou em imprudência pela dificuldade apresentada pelo circuito escolhido por Schumacher.

Você pode gostar