Por bernardo.argento

São Paulo - A Polícia Civil de São Paulo cumpre mandados de prisão de cinco torcedores do Corinthians que invadiram o CT do clube no 1º de fevereiro. A operação acontece desde a madrugada desta quinta-feira. Os suspeitos foram identificados através de imagens das câmeras do circuito de segurança. 20 integrantes de torcidas organizadas foram reconhecidos, mas só há ordem de prisão para cinco deles.

Os cincos acusados irão responder por vários crimes, entre eles dano ao patrimônio e formação de quadrilha. De acordo com o canal Globo News, nove torcedores foram levados ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para prestar depoimento. Oito deles estavam na quadra da torcida "Camisa 12". O outro foi preso na sede da "Pavilhão 9" por porte ilegal de arma.

Entre os cincos acusados que já possuem a prisão temporária decretada pela Justiça, está um torcedor que foi preso em Oruro, na Bolívia, suspeito de ter participado da morte do garoto Kevin Espada, de 14 anos, acertado por um rojão durante o jogo entre San José e Corinthians, pela Libertadores de 2013.

Entenda o caso

No dia 1º de fevereiro, na véspera do duelo entre Ponte Preta e Corinthians, aproximadamente 100 torcedores foram ao CT Joaquim Grava, na zona leste de São Paulo, para protestar devido a fase ruim do Corinthians dentro das quatro linhas. A manifestação, porém, terminou em violência. Alguns integrantes de torcidas organizadas invadiram as dependências do centro de treinamento e agrediram funcionários, além de ameaçarem jogadores e diretores alvinegros. Apesar de toda confusão, e a presença da polícia militar, ninguém foi preso.

Você pode gostar