São João de Meriti confirma favoristmo e conquista ouro no handebol

Município levou a taça para casa na modalidade masculino sub-17 e feminino sub-14

Por bernardo.argento

Rio - O município de São João de Meriti confirmou o favoritismo no handebol. A equipe já é tradição na competição há alguns anos. Os meninos e as meninas da cidade levaram para casa o ouro na modalidade masculino sub-17 e feminino sub-14. O resultado positivo é fruto de intenso trabalho realizado no Ciep Jean Baptiste Debret, através dos professores Robson e Thiago Lyra, este último foi eleito melhor técnico na competição masculina.

Um fato curioso de Thiago é que o rapaz divide as quadras com a lousa, pois além de ser treinador de handebol na escola, ele é o professor de geografia da garotada. “É muito difícil fazer duas coisas ao mesmo tempo, mas é gratificante quando temos um resultado positivo como esse, nos dá um gás maior para continuarmos nesse caminho”, explica o professor que é ovacionado pelos meninos da equipe.

Quem também foi ovacionado é o garoto Lucas Wagner, o número 8 de São João. Eleito o melhor atleta da competição, o rapaz que treina há cinco anos começou por acaso. “Estava assistindo a um jogo, que um colega me chamou, quando me apaixonei pelo esporte. Desde então, não quero e não pretendo mais parar”, conta o atleta que planeja seguir o caminho para se profissionalizar.

Elas dominaram o domingo

No handebol feminino sub-14, um fato inédito em 17 anos aconteceu: duas atletas ficaram empatadas na decisão da comissão técnica e dos árbitros sobre quem seria o destaque da competição. De um lado, Ana Júlia Flauzino, de Caxias e do outro Milene Rodrigues de São João. Após um debate entre a organização, foi decidido: Ana Júlia levaria a medalha.

A garota de 17 anos participa desde os 14 da competição e acredita que em 2014 houve uma maior dificuldade. “Suamos para chegar ao pódio. E o segundo lugar está com gostinho de primeiro, ainda mais depois dessa medalha de melhor atleta” brinca.

Mas engana-se que Milene Rodrigues, com todo o seu fair play foi embora para casa de mãos abanando. A diretoria de esporte de Magé, comovida com a participação da jovem, lhe homenageou com o troféu de honra. “Eu dedico esse prêmio à minha equipe. Sem eles, eu não teria feito um bom trabalho”.

O técnico destaque da modalidade foi o professor Emerson Callado, de Caxias, que enxerga o segundo lugar como um desafio para ser superado em 2015: “Nossas meninas precisam de mais experiência em quadra e isso só o tempo vai nos dar”.

Reportagem: Gustavo Resende

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia