100 anos de Madureira

Tradicional clube do subúrbio alcança o centenário sonhando com a Série B

Por O Dia

Zico com a camisa do MadureiraAndré Mourão

Rio - Oito de agosto de 2014, uma data especial para o futebol do subúrbio carioca. Há exatos 100 anos nascia um dos clubes mais tradicionais: o Madureira. Fundado por comerciantes da região, o Fidalgo Madureira Atlético Clube deu o pontapé inicial do futebol no bairro que também é o berço do samba. Em 1971, o clube se fundiu com o Madureira Tênis Clube e o Imperial Basquete Clube para se transformar no Madureira Esporte Clube.

Mas nada de festa em Conselheiro Galvão. O centenário será comemorado com um discreto almoço para os funcionários e um bolo de três metros que será cortado no Mercadão de Madureira, bem ao lado da sede.

Um gesto simbólico para um clube que coleciona alguns recordes, entre eles o de ser o clube brasileiro que mais permaneceu em excursão no exterior, em 1961, quando em 144 dias realizou 36 jogos na Europa, Ásia e EUA. Obtendo 23 vitórias, 3 empates e 10 derrotas.

Dois anos depois, também fez uma excursão pelas Américas e passou por Colômbia, México, Costa Rica, El Salvador e Cuba, onde jogou cinco partidas, sendo uma delas presenciadas pelo revolucionário Che Guevara, que à época era ministro da Indústria — o fato marcante mereceu uma homenagem recente do clube, que fez uma camisa em homenagem ao líder para vestir o time de futebol de 7 (detalhe).

Madureira completa 100 anosAndré Mourão

Apesar de suas andanças pelo planeta, o Madureira tem como maior feito a conquista da Taça Rio, em 2006. O time comandado por Alfredo Sampaio venceu por 1 a 0 o Americano, no Maracanã, e levou o título. Na final do Carioca, porém, perdeu para o Botafogo.

“Conquistei títulos no Madureira, cheguei a várias finais. É um clube muito marcante na minha carreira e tenho muito orgulho de fazer parte dessa história centenária”, disse Alfredo Sampaio.

Mesmo veterano em Estaduais, o Madureira é considerado um novato em Brasileiros. O clube só participou de uma competição nacional pela primeira vez em 2010, quando disputou a Série D e foi vice-campeão. Atualmente na Série C, tenta uma inédita vaga na Segundona.

Conselheiro Galvão é o nome mais famoso do estádio do MadureiraAndré Mourão

“O maior presente seria vencer os próximos jogos e chegar à próxima fase da Série C. Ir avançando e no fim do ano chegar a essa vaga tão esperada”, disse o coordenador das escolinhas de futebol Gilberto Coroa, que lembra ainda a fama do clube de formar jogadores de nome: “O Madureira revelou Marcelinho Carioca, Léo Lima, Evaristo de Macedo, Odvan e outros.”

Últimas de Esporte