Ramires afirma que Seleção ainda tem prestígio na Europa e agradece Dunga

Volante garante que respeito pelo Brasil está intacto, diz que é difícil esquecer eliminação na Copa e vê recomeço da equipe

Por rodrigo.hang

Estados Unidos - Na humilhante goleada de 7 a 1 que seleção brasileira sofreu para Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo, Ramires substituiu Hulk durante a partida, no Mineirão. Convocado por Dunga para os primeiros compromissos do Brasil após o Mundial, o volante garantiu que, mesmo com a derrota histórica, o prestígio da equipe continua intacto na Europa e revelou a surpresa de todos com o revés para o time que viria a conquistar o tetracampeonato.

Seleção brasileira pode fazer amistoso contra Suíça em novembro, diz jornal

Ansioso agradeceu Dunga por mais uma chance na seleção brasileiraDivulgação

"Não é qualquer seleção que faz o que fizeram ao Brasil no Mundial. Não é um jogo que vai apagar o respeito que têm por nós. Na Europa, os jogadores dizem que é um jogo que não voltará a acontecer, que foi uma surpresa pelo que a equipa estava a jogar. Em momento algum nos desrespeitaram ou disseram que a nossa seleção era fraca", disse em entrevista.

David Luiz pede para seleção parar de sofrer com o 7 a 1 e olhar para frente

O Brasil enfrenta a Colômbia nesta sexta-feira, em Miami, e o Equador, dia 9, em Nova Jersey. Ramires sabe que é difícil desviar o foco da goleada sofrida para a Alemanha, mas pensa em um recomeço da Seleção.

"Pode-se dizer que é um novo começo. Ficaram alguns jogadores da Copa, vieram outros novos. Mas é um começo na intenção de colocar a Seleção onde ela merece estar. Queremos jogar bem, formar um grupo forte. Mas não tem como apagar o que aconteceu na Copa, mesmo que você diga que já esquece, alguém vai e te lembra", comentou.

Neymar e Zúñiga se reencontram em clima de paz e sem ressentimentos

Caso entre em campo em um dos compromissos, Ramires completará 50 jogos com a camisa da seleção brasileira. O volante agradeceu ao técnico Dunga, por ter sido o primeiro a convocá-lo, em 2009, e por chamá-lo novamente após a Copa do Mundo de 2014. 

"Tive uma experiência muito boa com o Dunga. Tenho um respeito e uma gratidão com ele porque foi o primeiro treinador que me convocou para a Seleção. Tenho um respeito grande e o meu pensamento é só ajudar. O trabalho que eu tive com ele foi excelente. Era um menino começando e tive a chance de ir a uma Copa, foi uma oportunidade única. Estou tendo outra chance", concluiu Ramires, que foi convocado por Dunga para a Copa do Mundo de 2010.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia