Cockpit: A pressão mudou de lado

Com a boa fase de Hamilton nas últimas corridas, agora a pressão psicológica passa a ser sobre Nico Rosberg

Por edsel.britto

Rio - A nona dobradinha na temporada garantiu à Mercedes o incontestável primeiro título do Mundial de Construtores. Com o principal objetivo alcançado, a disputa entre Hamilton e Rosberg tende a ser mais intensa, sem a preocupação de perda de pontos pela equipe alemã. O problema pode ser a superioridade do inglês. A pressão psicológica mudou de lado e agora é o alemão que sofre.

No GP da Rússia, sabedor da superioridade do companheiro em todo o fim de semana, Rosberg, pela primeira vez no ano, arriscou tudo para assumir a liderança na primeira volta. E errou. O alemão até ultrapassou Hamilton, mas a forte fritada destruiu os pneus dianteiros e ele precisou ir aos boxes. Caiu para penúltimo.

Presidente da Rússia%2C Vladimir Putin cumprimenta Lewis Hamilton no pódio%2C ao lado de Nico RosbergEfe

Então, teve sangue frio e repetiu o companheiro em outras ocasiões parecidas: deu show. Ultrapassou quase todo mundo, sem deixar de poupar o pneu para andar 52 voltas. Conseguiu brilhante segundo lugar e minimizou o prejuízo. Mas o título está cada vez mais perto de Hamilton, que passeou em Sochi para chegar à nona vitória em 16 GPs no ano (31º triunfo na carreira, igualando Nigel Mansell). Vai ser difícil alcançá-lo.

QUAL FOI A LÓGICA?

Inacreditável a estratégia da Williams. Por que apostar no pneu macio sabendo que não iria durar 52 voltas? Se fizesse igual a Rosberg (usou o médio e parou uma vez), Massa ficaria em quarto.

FALTOU BRAÇO

A culpa também é de Massa. Após sofrer com o motor no treino, fazia boa corrida de recuperação até ficar atrás de Perez e não sair mais de lá. O 11º lugar foi ridículo pelo carro que tem.

O ACIDENTE NO JAPÃO

Na sexta, a FIA sustentou que não houve erro no acidente de Bianchi e a manutenção do horário de largada não foi um problema. Ainda discordo. A visibilidade não seria tão ruim mais cedo e, talvez, Sutil e Bianchi não tivessem aberto demais a curva e passado fora do trilho, motivo para perderem o controle. O francês, que reduziu a velocidade com a bandeira amarela dupla, foi reto ao corrigir a trajetória.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia