Rubens Lopes diz que se não houver acordo, Flu x Vasco não será no Maraca

Presidente da Ferj comentou da possibilidade do Bota não estrear no Engenhão e caso Fla sobre o preço dos ingressos

Por jessica.rocha

Rio - Apesar de ainda se recuperar de uma internação, Rubens Lopes não ficou fora dos assuntos relacionados a Federação do Estado do Rio de Janeiro. Em entrevista, o presidente da Ferj comentou sobre o tema polêmico envolvendo os lados das torcidas no Maracanã. Para ele, caso não haja um acordo entre Vasco e Fluminense, o clássico será transferido para o Engenhão.

"A expectativa é que tenhamos esse jogo no Maracanã, e esperamos que Fluminense e Vasco entrem em um acordo. Historicamente, o lado direito é destinado ao Vasco, e o esquerdo, ao Flamengo. O Fluminense alega um contrato, mas é um contrato que não apareceu, que não mostra para ninguém e não tem o mínimo valor esportivo para nós. Não pode ter cláusula absurda. Se não houver consenso, possivelmente a partida não será no Maracanã. Clássico não tem mandante, nem semifinal e final. A Federação tem o direito de determinar o local onde serão realizadas essas partidas", afirmou Rubens Lopes em entrevista à Rádio Brasil. 

Rubens Lopes comentou sobre a 'briga' envolvendo Vasco e FluminenseDivulgação

A estreia do Botafogo no Engenhão ainda é uma incógnita. Rubens Lopes afirmou que a situação ainda não está definida e, caso o estádio não fique pronto a tempo, a partida deverá ser realizada em São Januário. 

"Essa questão ainda não está fechada. Embora, a cada dia que passa, o tempo trabalhe contra esse objetivo do Botafogo. Nós estamos ao lado do Botafogo, trabalhando em conjunto. Mas caso não venha a ser possível o Botafogo estrear no Engenhão, esse jogo possivelmente será em São Januário", acrescentou. 

Sobre o questionamento do Flamengo quanto à redução nos preços dos ingressos para o Carioca, o presidente comentou que entende a posição do clube em reclamar e ressaltou que o que incomodou o Rubro-Negro não foi a promoção e sim os valores estipulados (entre 5 para jogos entre pequenos e R$ 50 para os clássicos).

"O Flamengo seguiu a norma instituída, a decisão, de quem quer que seja, cabe recurso. Isso é natural, é o caminho. Não houve nenhuma divergência. Todos, de forma unânime, aprovaram os ingressos promocionais. A divergência ficou em relação ao preço, mas todos entendem que a promoção é importante para proporcionar o reencontro do clube com seu torcedor. A decisão foi no sentido de eliminar esse fator responsável pela falta de público, o preço considerado caro. Se acabarmos com essa dificuldade, ele vai se tornar acessível a todos. Não é que não tenha que haver áreas nobres, o que não pode deixar de ter é preços populares", finalizou o dirigente.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia