Sonnen dá conselho a Anderson Silva após caso de doping: 'Se fez, admita'

Lutador norte-americano, flagrado duas vezes no antidoping, também não indica queda de braço com laboratório

Por fabio.klotz

Estados Unidos - Aposentado das lutas após ser pego no doping pela segunda vez na carreira, Chael Sonnen deu seu pitaco sobre a situação de Anderson Silva, que foi flagrado pelo uso das substâncias Drostanolona e Androsterona. O ex-rival aconselhou o brasileiro a admitir o que fez, caso seja realmente culpado.

Anderson Silva vai tentar prova inocênciaReprodução Internet

"Se ele fez isso, eu o encorajaria e a qualquer outra pessoa a fazer o que fiz. Simplesmente venha a público e diga: 'Eu fiz isso'", afirmou Sonnen à TSN.

LEIA MAIS: Dana valoriza trajetória e mantém Anderson Silva como técnico do TUF

"A porta ainda está aberta para você vir a público e nos falar o que aconteceu. Diga: 'Olha, ainda estava no meu sistema. Fui pego. Desculpa'. Saia de cena, a tela fica preta e descem os créditos", afirmou o americano.

LEIA MAIS: Flagrado com doping, Anderson Silva se desvaloriza e pode se aposentar

O americano foi flagrado no antidoping depois do UFC 117, em 2010, quando foi derrotado por Anderson Silva em luta histórica, por excesso de testosterona. Sonnen voltou a ser pego antes do UFC 175, no ano passado. Na tentativa de se adequar à realidade sem o TRT (Terapia de Reposição de Testosterona), o americano buscou outras alternativas e foi pego pelo uso de anastrozol e clomifeno.

LEIA MAIS: Notícias, lutas e bastidores: tudo do mundo do MMA

Na noite desta quarta, Anderson Silva disse, em comunicado, que não fez uso de doping e é inocente. O brasileiro sugeriu algum equívoco do laboratório. Para Sonnen, esta queda de braço é uma causa perdida.

"O laboratório envolvido nisso responde a uma pessoa, que é o senador John McCain. Este é um laboratório fundado pelo governo dos Estados Unidos. Se alguém disser que este laboratório estava errado, eles vão se defender vigorosamente. Não vale a pena a luta."

Sonnen ainda disse não saber se Anderson teria se dopado nas duas lutas que fizeram, quando o brasileiro saiu vitorioso. No entanto, entende que se Anderson utilizou as substâncias para curar a lesão sofrida na perna, ele não deveria voltar a lutar.

"Anderson Silva estava no ringue e sofreu uma fratura exposta. Seus ossos da canela foram quebrados pela metade. A única coisa que conectava seu corpo era a pele. Isso é relevante na história. Ele tem uma obrigação consigo mesmo: saúde em primeiro lugar - e o esporte desceu nessa lista. Ele tem uma obrigação de fazê-lo mesmo melhorar - não importa o que ele precise fazer. Use ciência. Eu não ligo se foi do mercado livre ou do mercado negro, ele precisa curar a perna dele. Isso é O.K. Se ele quer voltar e competir, o que ele decidiu fazer, ele tem que operar dentro das regras. Por agora, parece que ele testou positivo para substâncias proibidas. Se ele precisava de ajuda para a perna dele, bom para ele, só que isso não significa que ele pode voltar ao esporte. Se ele retornou para o esporte e não revelou isso, ele vai ter sofrer as consequências e terá que lidar com isso", concluiu.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia