Cockpit: Ninguém pode com as Mercedes

Treinos de pré-temporada, que terminaram no domingo, confirmam superioridade da equipe alemã sobre os rivais. Primeiro GP de F-1 será na Austrália, no dia 15 de março

Por edsel.britto

Rio - Fim da pré-temporada e uma certeza: as Mercedes vão dominar mais um ano. A equipe alemã escondeu o jogo o quanto pôde e quando mostrou força destruiu os rivais (dá para chamá-los assim?). A diferença para a Williams, que surge como quem pode chegar perto, pode estar em volta de um segundo, mas só saberemos a realidade no GP da Austrália.

De qualquer jeito, Hamilton e Rosberg são os grandes favoritos. A disputa entre os dois tende a ser tão apertada como em 2014, mas acredito que Hamilton conquiste o tri antes da última corrida, em Abu Dhabi. Do jeito que está, torçamos para que haja brigas entre os dois, se não só veremos emoção a partir do terceiro lugar. Felipe Massa terá um carro competitivo e se saiu melhor que Bottas nos treinos, mas é difícil acreditar em vitórias, pelo menos neste início de 2015.

Nos treinos de pré-temporada%2C a Mercedes dominou e mostrou a sua superioridade sobre os rivaisEfe

Terá que torcer por problemas das Mercedes, equipe que mais andou nos 12 dias de pré-temporada. Ou seja, difícil. Apesar do bom carro, a Williams não deve ter vida fácil. A Ferrari mostrou grande evolução e tem andado bem para brigar por pódio, para alegria de Vettel (e tristeza de Alonso). Um pouco mais atrás está a RBR, que não parece ter um chassi tão bom quanto os dois rivais, mas vai evoluir ao longo do ano.

NASR E SAUBER TÊM BOM INÍCIO

A Sauber renasceu com um bom — e confiável —carro. Estreante, Felipe Nasr sempre andou rápido e dá para torcer por pontos na Austrália. Resta saber se haverá dinheiro para a equipe evoluir no ano.

MCLAREN DECEPCIONANTE

A pré-temporada da McLaren/Honda foi tão horrorosa como da RBR em 2014. Talvez pior. Cheia de problemas de confiabilidade e com pouca quilometragem, terminar na Austrália será vitória.

MUDANÇA PARA 2017

?Reunião no último dia 17 confirmou uma revolução na F-1 a partir de 2017 para atrair mais público. A grande mudança será o aumento na potência dos motores (mil cavalos a mais) e pneus mais largos. A ideia é ter carros mais rápidos e, consequentemente, mais difíceis de dirigir (os pilotos de hoje admitem que está mais fácil do que em 2004). Assim, vence o melhor ou mais corajoso. Vamos torcer!

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia