Jefferson mantém humildade e avisa: 'Ninguém tem vaga cativa na Seleção'

Goleiro se destaca contra a França, mas não muda postura

Por fabio.klotz

Inglaterra - Se o Botafogo lamenta a perda de Jefferson, o técnico Dunga celebra o fato de a Seleção ter ganho um goleiro seguro e confiável - como se observou nos 3 a 1 sobre a França, quinta-feira, em Paris. A boa atuação, porém, não muda a postura discreta do camisa 1, que completou cinco partidas como titular nesta segunda passagem do treinador à frente da equipe.

Contra a França%2C Jefferson teve nova atuação segura com a seleção brasileiraReuters

“Ninguém tem cadeira cativa na Seleção”, diz Jefferson, que cedeu lugar duas vezes a Diego Alves na meta brasileira. O goleiro do Valencia, inclusive, desbancou Rafael, o preferido do preparador Taffarel no início do trabalho da atual comissão técnica. Com a forte concorrência, Jefferson não se considera titular absoluto.

LEIA MAIS: Henry se encontra com Neymar e brinca com craque: 'Não faça mais isso'

Humildade à parte, ele tem tudo para ser o dono da posição na Copa América do Chile, em junho. Muito em função do que fez no Stade de France.

“O jogo contra a França foi um dos meus melhores. Estou crescendo na Seleção e espero cada vez mais ter espaço”, disse Jefferson, de olho no duelo com o Chile, neste domingo, em Londres.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia