Fluminense supreende em vários níveis

Tricolor faz grande campanha no Brasileirão

Por pedro.logato

Rio - Não se pode chegar à conclusão definitiva nem endossar o otimismo exagerado em relação à excelente fase do Flu. Mas surpreende a solução de certas questões como pagamento de salários, reativação das divisões de base de Xerém e a TV, com a diretoria dispensando os adiantamentos. Era geral a sensação de que o clube, com a perda da patrocinadora, passaria por fase difícil. Pode até ser ilusório, mas o céu clareou. Os garotos têm jogado com confiança, o grupo recuperou a alegria e existe a liderança de Fred. Há até espaço para se contratar uma referência como Ronaldinho. O Flu, vice-líder do Brasileiro, cria expectativas otimistas. Não se sabe no que vai dar, mas vive momento de seriedade e esperança.

Fluminense vive grande momento no BrasileirãoAndré Mourão

MOMENTO TENSO

O Flamengo faz um jogo perigoso contra o Náutico, em Recife, que, dependendo do resultado, pode decretar a queda de Cristóvão. A volta de Sheik e Guerrero não é garantia de classificação. Pode ser injusto, mas, em 90 minutos, Cristóvão vai selar seu destino na Gávea. Ou tudo começa a mudar ou ele pagará o preço por erros de um time em convulsão.

SENSO MUITO BOM

Já se ouvem, aqui e ali, críticas ao Bom Senso FC por foco errado, ambições políticas ou excesso de concessões. Mas, em pouco tempo, ele movimentou a política do futebol, acelerou mudanças na legislação e ajudou o esporte, cortando as asas dos cartolas. Não será da noite para o dia que haverá uma verdadeira revolução.

MOTIM A BORDO

A nau vascaína vive dias tumultuados dentro e fora do mar — ou do campo. Dentro, derrotas, vexames e zona de rebaixamento. Fora, contratações frustradas, declarações absurdas e cisão no comando do futebol envolvendo Euriquinho, filho do chefão. Não se sabe onde isso vai terminar, mas, qualquer que seja o epílogo, o derrotado poderá ser o Vasco.

DE PATO A GANSO

Quando se muda o papo de pato para ganso, o futebol perde porque Ganso, ex-rival de Neymar, sumiu na poeira e hoje sobrevive só pela habilidade — com hostilidade descabida contra técnicos. Pato nada em boa fase, com belos gols, mas se diz que isso sempre rola no fim do contrato. Será? Pato prometeu mais que entregou.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia