Brasileiro levanta 60 toneladas, dieta de 11 mil calorias e buscará o bi no Pan

O halterofilista Fernando Reis aposta em nova medalha de ouro na competição de Toronto para tentar chegar entre os cinco melhores do mundo no levantamento de peso

Por edsel.britto

Toronto - Figurar entre os cinco melhores do mundo na categoria acima de 105kg no levantamento de peso é o principal objetivo de Fernando Reis nesta temporada. É a posição em que ele acredita ter condições de medalhar no Mundial da modalidade, em novembro, em Dallas (EUA), e o último estágio antes deste objetivo é em Toronto, com a disputa pelo bicampeonato nos Jogos Pan-Americanos. A preparação para atingir esse feito, é para braços e estômago fortes.

Reis pesa 150 quilos. Para manter a forma robusta, necessária para manter o status de melhor halterofilista pan-americano, faz uma rotina forte de treinos. No ápice da preparação, chega a levantar até 60 toneladas por dia, ou 60 mil quilos, o equivalente a 30 filhotes de baleias jubarte.

Fernando Reis tentará o bi no levantamento de peso acima de 105 kg no PanThiago Rocha / iG

Para aguentar esse peso diário, o paulista de 25 anos tem um cardápio para poucos. A dieta diária é de 11 mil calorias, que inclui refeições de madrugada, interrompendo o sono. Não há restrições para consumir pratos como batata frita, bacon, ovo e salsicha. No almoço e jantar, o prato é o mesmo: arroz, feijão, carne e batata, e quantas vezes quiser, ou até onde aguentar.

"Parece que é um monte de porcaria, mas a maioria das coisas que como tem proteína. Nem sempre consigo fazer as refeições da madrugada, estou muito cansado e acabo dormindo. Mas ter essa dieta faz parte da minha rotina, é o que preciso para ganhar força muscular", explicou Reis. "Estou me sentido forte e muito bem", completou o halterofilista, detentor do primeiro ouro do Brasil na modalidade em Jogos Pan-Americano, em Guadalajara-2011. Ele também o recordista continental de sua categoria.

Reis é um dos nomes em ascensão no levantamento de peso mundial. por isso carrega esperanças de um possível pódio nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Isso só será possível, na visão do atleta, com rendimento de top 5 no Mundial de Dallas. Nas últimas duas edições do campeonato, ele figurou entre os oito melhores. A chance pelo bi do Pan na categoria acima de 105kg será nesta quarta-feira, às 20h (de Brasília).

"Para este ciclo estou mais experiente. Com 17 anos, fui último colocado no Pan do Rio de Janeiro, e quatro anos depois levei a medalha de ouro em Guadalajara. Adquiri muita bagagem de treino e fiz muitas competições internacionais. Estando entre os cinco melhores do mundo é para pegar medalha olímpica. Seria o auge da minha carreira", sonha. Apetite e força tal objetivo não lhe faltam.

*Reportagem de Thiago Rocha

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia