Marin vai cumprir prisão domiciliar em apartamento luxuoso em Nova Iorque

Ex-presidente da CBF será vizinho de Cristiano Ronaldo

Por victor.abreu

Estados Unidos - Já que é para ficar encarcerado, que seja com estilo. Não faltarão mordomias para José Maria Marin na prisão domiciliar que cumprirá em Nova Iorque. O ex-presidente da CBF, detido desde 27 de maio acusado de receber propinas de venda de direitos de TV de torneios realizados no Brasil e na América do Sul, é dono do apartamento 41D no 41º andar da Trump Tower, suntuoso conjunto comercial e residencial que fica na Quinta Avenida, um dos metros quadrados mais caros do mundo.

Marin chegou a Nova Iorque na terça-feira, extraditado pela Justiça da Suíça. Em investigação conduzida pelo FBI, ele foi detido em Zurique em maio com outros seis dirigentes ligados à Fifa, todos acusados de corrupção. Mesmo alegando inocência, o ex-presidente da CBF entrou em acordo com as autoridades norte-americanas, ao pedir prisão domiciliar em troca de "colaboração" - ele foi ouvido pela Corte Federal do Brooklyn poucas horas depois de desembarcar.

José Maria Marin vai cumprir prisão domiciliar em Nova IorqueReuters

Muitas atrações esperam por Marin em seu cárcere privado. Unidades iguais às do brasileiro são as mais modestas, na falta de palavra mais adequada, da Trump Tower: tem 101 metros quadrados, divididos em uma suíte, sala, cozinha, banheiro, área de serviço e dois lavabos. O condomínio disponibiliza serviços como acesso exclusivo para moradores, academia de ginástica, camareira e manobrista. Há joalheria de luxo, lojas de roupas, restaurante, café e duas unidades da Trump Store, onde é possível comprar diversos produtos relacionados ao dono do local, o empresário Donald Trump, pré-candidato a presidente dos Estados Unidos.

Os 26 primeiros andares da Trump Tower são de uso comercial. Do 27º até o 68º ficam os apartamentos residenciais. A maioria tem vista para o Central Park. Marin terá de curtir o belo visual do parque pela janela, já que poderá deixar o local apenas com autorização do FBI. Também ficará privado das diversas lojas de grife do entorno. A segurança de que cumprirá as ordens judiciais tem a garantia de um monitoramento eletrônico.

Marin teve fiança determinada em US%24 15 milhões (cerca de R%24 57 milhões)Reuters

Com sorte, o ex-presidente da CBF pode quebrar a rotina da prisão caseira tendo alguns momentos com um dos moradores mais ilustres da Trump Tower. Este ano, o português Cristiano Ronaldo, craque do Real Madrid e eleito o melhor jogador do mundo na última eleição da Fifa, pagou US$ 18,5 milhões (R$ 69,5 milhões) por um apartamento de 233 metros quadrados. A compra do imóvel fez aumentar especulações de que ele poderia jogar nos Estados Unidos em breve. Outro astro com residência por lá é o ator Bruce Willis. Até 2012, uma das coberturas pertencia a Derek Jeter, ícone do beisebol norte-americano.

Marin adquiriu o apartamento em 1989, após deixar a presidência da Federação Paulista de Futebol. O preço de compra da época foi de US$ 900 mil. Atualmente, apartamentos do mesmo tamanho não saem por menos de US$ 2,5 milhões (R$ 9,4 mi na cotação atual).

A compra do local é nebulosa. O imóvel está registrado em nome da Swanfield Ltd, empresa sediada nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal, e presidida por José Maria Marin. A propriedade nunca apareceu em declaração de bens do ex-presidente da CBF.

Coincidentemente, a Trump Tower também já foi endereço de outra pessoa ligada às suspeitas de corrupção no futebol. Principal delator do esquema investigado pelo FBI, Chuck Blazer, ex-dirigente de Concacaf e Fifa, chegou a alugar dois apartamentos no 49º andar do prédio. Um deles, que custava US$ 6 mil por mês, era usado para manter os gatos do cartola, que eram temperamentais e costumavam rasgar os estofados de sua residência oficial. Parte dos custos da moradia saía dos cofres da Concacaf.

Fonte: iG

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia