Maria Suelen é ouro e Brasil ganha 13 medalhas no Grand Slam de judô

Luciano Corrêa também chegou à final, na categoria até 100kg, sendo derrotado na decisão por Elkhan Mammadov, do Azerbaijão

Por bferreira

Emirados Árabes Unidos - Depois de um desempenho abaixo do esperado nos Jogos Olímpicos do Rio, o judô brasileiro faturou 13 medalhas a primeira competição de relevância no Circuito Mundial, o Grand Slam de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos. A única medalha de ouro, entretanto, veio neste domingo, com Maria Suelen Altheman, na categoria pesado (+78kg). Foram também quatro de prata e oito de bronze

Maria Suelen Altheman faturou o ouroDivulgação

Apesar de o torneio ser dos mais valiosos para o ranking mundial (só distribui menos pontos que Olimpíada, Mundial e Masters), poucos judocas olímpicos foram até os Emirados Árabes. A chave de Maria Suelen, por exemplo, tinha só sete competidoras. Em toda a competição, havia 60 mulheres brigando por 28 medalhas.

Mas isso não desvaloriza a conquista da atleta brasileira, 14ª do ranking mundial, que venceu a turca Kubra Kara (112ª), a bielo-russa Maryna Slutskaya (21ª) e a alemã Carolin Weiss (13ª). Nenhuma delas esteve na Olimpíada.

Luciano Corrêa também chegou à final, na categoria até 100kg, sendo derrotado na decisão por Elkhan Mammadov (19º), do Azerbaijão. Na campanha, ele só precisou fazer três lutas, tendo vencido, antes, o britânico Philip Awitialcaraz (50º) e o sueco Joakim Dvarby (75º), ambos atletas piores ranqueados que o brasileiro, que é o 25º.

Samanta Soares (49ª) também teve caminho curto até a medalha, de bronze. Numa chave com oito judocas, na categoria até 78kg, metade delas iria ao pódio. A brasileira, reserva de Mayra Aguiar na seleção, perdeu da francesa Sama Hawa Camara (36ª) na estreia, mas se recuperou vencendo Brigitte Rose (67ª), de Seychelles, e a também francesa Madeleine Malonga, 16ª do mundo.

No peso pesado masculino, David Moura (11.ª) perdeu para o russo Anton Brachev (58.º) na estreia, mas conseguiu se recuperar. Superou o francês Nabil Zalagh (56.º) e, na decisão do bronze, imobilizou o também russo Soslan Bostanov (46.º) para faturar a última medalha do País.

A única categoria que o Brasil passou em branco neste domingo foi na até 90kg, onde Eduardo Bettoni (52.º) caiu para Max Stewart (56.º), da Grã-Bretanha, e depois, na repescagem, diante de Tural Safguliyev (79.º), do Azerbaijão.

João Cesarino, campeão pan-americano júnior na categoria +100kg, estreou entre os adultos com vitória sobre Vito Dragic (65.º), da Eslovênia, mas depois perdeu para Daniel Natea, da Romênia, quarto do ranking mundial, e para Michael Horak, da República Checa, 52º.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia