Por jessyca.damaso

Rio – A intuição da jogadora de vôlei e bicampeã olímpica Thaisa falou mais alto na virada do ano, e por pouco ela não passou o Réveillon no clube Reina, em Istambul, na Turquia, ao lado do marido, Guilherme Pallesi. O local foi atacado por um terrorista que matou 29 pessoas e feriu outras 69.

Thaisa e Guilherme escaparam de atentado terrorista na TurquiaDivulgação

"Saímos do jantar de comemoração em um hotel com os pais do Guilherme e ele estava empolgado para irmos para lá, para a gente dançar e curtir a noite. Mas fiquei conversando com os pais dele e disse: não acho que devemos ir para a boate. Estou com um sentimento ruim. É um lugar cheio, um ponto turístico, com muitos estrangeiros, e na virada do ano é um prato cheio para terrorismo e tudo mais. Não quero ir. Quero desistir", disse Thaisa. “Era como se eu estivesse vendo lá dentro da balada. Só que tinha uma imagem muito escura e fria. Uma visão distorcida e feia, que dava arrepios. O Gui entendeu que eu estava angustiada e mudamos o destino. Voltamos para casa", completou.

O casal mudou-se para Istambul após os Jogos Olímpicos Rio 2016, já que a jogadora firmou contrato com a equipe Eczacibasi Vitra. Nesta segunda-feira, Thaisa retornou aos treinos com bola. O time está na vice-liderança da liga turca e lidera o grupo D na quarta fase da Champions League. Apesar do ocorrido, Thaisa garante que continuará mantendo sua rotina. "Me sinto muito segura aqui. Mais do que no Brasil".

Você pode gostar