Bicampeão mundial, Alonso vai se aposentar ao fim da temporada - AFP
Bicampeão mundial, Alonso vai se aposentar ao fim da temporadaAFP
Por ESTADÃO CONTEÚDO

Espanha - De saída da Fórmula 1, Fernando Alonso vem chamando a atenção desde o início do ano pelas críticas quanto à previsibilidade das corridas da categoria. Nesta terça-feira, uma voz inesperada concordou com o piloto espanhol. Trata-se de Sean Bratches, diretor comercial da categoria.

Questionado sobre as críticas de Alonso, Bratches disse que o piloto da McLaren está certo. "Acho que há uma oportunidade para a Fórmula 1 ser menos previsível e é importante que consigamos alcançar este objetivo", declarou o diretor comercial da categoria em evento da revista "Motorsport Week". "Se você observar os números, desde a temporada 2015 apenas três times venceram corridas, apenas três times. Então, sim, é muito previsível", reiterou o dirigente.

Na verdade, somente Mercedes, Ferrari e Red Bull têm vencido provas desde o GP da Austrália de 2013, alcançando uma sequência de mais de cem corridas. Neste ano, o domínio do trio em pódios só foi quebrado pelo mexicano Sergio Pérez, da Force India, no Azerbaijão.

Bratches comparou a Fórmula 1 ao Campeonato Inglês para provar a sua opinião, que é a mesma de Alonso. "Se você observar o Campeonato Inglês, desde a temporada 2014/2015 as três piores equipes venceram ou empataram com os seis melhores em 29% dos confrontos", disse o dirigente.

"Se você é o Cardiff, por exemplo, um fã do Cardiff loucamente otimista, pode até pensar que pode ser campeão. Mas quando você joga contra o Chelsea ou o Manchester City você não precisa ser louco para cogitar uma vitória. Isso não acontece na Fórmula 1", disse Bratches.

"Acho que Alonso está certo e nós temos um plano para corrigir isso [a previsibilidade]. E eu gostaria de que ele continuasse aqui na F-1 por mais dez anos para fazer parte disso", disse o dirigente. "Ele se tornou um grande embaixador do esporte, um herói, uma lenda", elogiou.

Bratches, contudo, não revelou quais são os planos da categoria para reduzir a previsibilidade das disputas. O diretor comercial se tornou um dos três principais dirigentes da Fórmula 1 desde que o grupo Liberty Media comprou a categoria. Ele divide as atenções na cúpula da organização com Ross Brawn, responsável pela parte mais esportiva. E ambos estão logo abaixo de Chase Carey, CEO da F-1.

Você pode gostar