Alívio tricolor no Maracanã

Em um jogo de baixo nível técnico, Flu erra menos e derrota o Botafogo por 1 a 0

Por

No show de horrores no Maracanã, venceu o time menos incompetente. O Fluminense, ao pelo menos conseguir fazer o único gol, de Digão, na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, que ainda perdeu um pênalti no fim defendido pelo goleiro reserva Rodolfo. Os alvinegros amargam mais uma derrota no Brasileiro, seguindo perigosamente próximos à zona de rebaixamento. Já os tricolores respiram mais aliviados ao se afastar, pulando para 31 pontos.

A verdade é que os torcedores de ambos os lados sofreram muito. Se não bastasse a baixa qualidade técnica dos times, o péssimo gramado do Maracanã piorou ainda mais a situação. Para completar, tanto Fluminense quanto Botafogo jogaram sem meias de criação, o que ocasionou um jogo de muita correria, pouca visão, muitos erros de passes, perde e ganha no meio de campo e chutões à vontade.

No meio do caos (de organização) que foi a primeira etapa, o Fluminense se saiu melhor. Desperdiçou algumas chances claras com Kayke, furando duas vezes, e Luciano, chutando em vez de tocar em outras duas. Mas se o ataque segue sem resolver, pelo menos desta vez Digão apareceu na pequena área para marcar, aos 11, após bicicleta mal executada por Everaldo em escanteio. E o Botafogo, mesmo desorganizado, poderia ter empatado se Kieza não tivesse cabeceado em cima de Júlio César na melhor chance.

No segundo tempo, o Fluminense perdeu seu goleiro, após levar uma pancada na região lombar, mas a mudança acabou sendo determinante para o jogo. Antes de Rodolfo pegar o pênalti de Lindoso e Erik isolar o rebote, já aos 39, o Botafogo precisou batalhar muito para criar a chance de gol. Tanto que, em 25 minutos, foram os tricolores que abusaram da incompetência nos contra-ataques.

Com as substituições, o Botafogo cresceu na parte final e pressionou. Só faltou alguém lúcido para criar as jogadas (foram só três chutes no gol). Tanto que o pênalti saiu em um cruzamento de Erik que Ayrton Lucas colocou a mão infantilmente, sendo salvo pela estrela de Rodolfo. Apesar do susto, o Flu não aprendeu a lição e, sem um meia para cadenciar o jogo, seguiu acelerando a bola e perdendo a posse, dando chance para o alvinegro, que não aproveitou.

 

Comentários

Últimas de Esporte