Tite diz ainda não ter virado página da Copa e indica que mudará seleção

Treinador pretende priorizar os jogadores que têm mais tempo de Seleção para depois dar oportunidades aos novatos

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Tite admitiu problema de calendário em jogos da Seleção
Tite admitiu problema de calendário em jogos da Seleção -

Estados Unidos - Após a vitória da seleção brasileira sobre os Estados Unidos por 2 a 0, nesta sexta-feira, em New Jersey, o técnico Tite voltou a afirmar em entrevista coletiva que ainda está virando a página da desclassificação prematura da Copa do Mundo da Rússia, para a Bélgica, nas quartas de final, declarando que iniciou o novo ciclo a partir de "dor e frustração".

"Estamos retomando em cima de uma dor e de uma frustração. Tem um aspecto emocional. Equipe que teve Douglas Costa iniciando apenas a sua segunda partida (em 2018 pela Seleção). Me perguntaram sobre os novatos antes do jogo, mas também temos que dar mais oportunidades para quem já estava aqui. Como Firmino, Douglas Costa, Fred. E depois sim os novatos", disse.

"Não virei ainda (a página), estou virando", afirmou Tite, chegando a comparar as estatísticas de finalizações e posse de bola do duelo contra os Estados Unidos com os números do jogo contra a Bélgica, que eliminou o Brasil da Copa da Rússia. "Essa página está escrita e não quero tirar da minha vida."

Durante a partida que marcou mais um recomeço da seleção após derrota em Copa do Mundo, Tite usou as seis substituições a que tinha direito. Com isso, quatro jogadores fizeram sua estreia na seleção: Arthur, Lucas Paquetá, Richarlison e Everton. E algum deles deverão receber chance no próximo amistoso.

Isso deve ocorrer, pois o treinador indicou que deve realizar mudanças entre os titulares no próximo amistoso contra El Salvador, na próxima terça-feira, em Washington. "Vamos fazer algumas mudanças no time titular. Não vou falar quem, mas vamos oportunizar", disse.

Exaltando Neymar, que agora se tornou o capitão fixo da seleção brasileira, o treinador disse que o jogador é uma "liderança técnica" que terá a oportunidade de dar em campo a resposta às críticas sofridas durante a Copa do Mundo. "O drible, a finta e o lance pessoal é uma marca registrada não do Neymar, mas do jogador brasileiro. As suas atitudes vai falar por si só."

Últimas de Esporte