Após atos racistas contra o Vasco, Racing pede para torcida não chamar corintianos de 'macacos'

Clube mostra preocupação com possíveis punições caso seus torcedores cometam algum ato racista

Por O Dia

Racing encara o Corinthians na Sulamericana
Racing encara o Corinthians na Sulamericana -

Argentina - Antes de enfrentar o Corinthians pela Copa Sul-Americana, o Racing divulgou uma nota em seu site oficial em que informa aos seus torcedores que fazer alusão a macacos ou qualquer ato de racismo pode causar punição ao clube e aos que cometerem tais atos. Vale lembrar que, na Libertadores de 2018, o clube argentino foi julgado por atos de injúria racial contra o Vasco. 

"Se constitui um delito racial fazer gestos de macaco ou dizer "macacos" aos torcedores simpatizantes em todo o Brasil. É um delito assemelhar uma pessoa a um animal", diz a nota, que está no site oficial do clube argentino.

O clube ainda deixa claro que há câmeras de segurança em toda a Arena Corinthians e que a polícia poderá prender quem agir com alguma discriminação racial. "As consequências podem ser severas tanto para o clube - penalização econômica - como para as pessoas implicadas", explicou, lembrando que o torcedor pode até ser proibido de deixar o Brasil, além de receber multas altas e danos judiciais.

O Racing também avisa que é proibido a utilização de máscaras, instrumentos musicais, bandeiras com temas políticas, rolos de papel higiênico e iluminação a laser, algo comum fora do Brasil. Corinthians e Racing se enfrentam nesta quinta-feira, às 21h30, pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

Comentários