Atleta relata ofensas após Olimpíadas do Rio: 'Perguntaram se eu fazia programa'

Ingrid Oliveira foi crucificada por levar atleta da canoagem para seu quarto na Vila Olímpica

Por O Dia

Ingrid de Oliveira
Ingrid de Oliveira -

Rio - Crucificada por levar um atleta da canoagem para seu quarto na Vila Olímpica durante os jogos do Rio, a atleta de saltos ornamentais Ingrid Oliveira desabafou novamente sobre o episódio. Em entrevista ao programa "Encontro", da TV Globo, ela falou sobre as dificuldades que enfrentou na época do ocorrido.

"Depois disso, os Jogos Olímpicos eram tipo um terror para mim. (...) Eu meio que me isolava com medo do que as pessoas iriam pensar de mim: "está todo me julgando". Até com meus amigos eu tinha medo de falar, medo de me julgarem", declarou a atleta.

Para Ingrid, as consequências de seu ato só tiveram tamanha repercussão pelo fato dela ser mulher, uma vez que o canoísta que a acompanhou não sofreu tantos julgamentos.

"Ele não sofreu tão duramente quanto eu. O máximo que eu via era gente falando 'sem foco' para ele, enquanto eu sofria nos directs (do Instagram), perguntando se eu fazia programa, essas coisas. Não xingavam ele da mesma forma que eu, e isso me deixava muito triste, parecia que eu era a única errada na situação", completou.

A atleta aproveitou para explicar os motivos de não ter se manifestado na época do ocorrido.

"Eu tinha medo de as pessoas me atacarem mais e falarem que eu estava mentindo para desfocar da realidade. Foi totalmente inventada aquela história. Aí eu tinha medo de as pessoas acharem que eu era mentirosa e quisesse só livrar minha barra. Eu achei que com um tempo seria esquecido, mas não foi", completou.

Comentários