Guerrero processa advogado de hotel onde teria se dopado involuntariamente

Na denúncia, o atacante diz que o advogado mentiu ao dizer que a sala do hotel onde tomou o chá era pública para qualquer visitante

Por O Dia

Guerrero pode estar perto de voltar aos gramados
Guerrero pode estar perto de voltar aos gramados -

Lima - A novela do polêmico doping de Paolo Guerrero ganhou um novo capítulo nesta terça-feira. O atacante tomou providências legais contra o advogado do hotel em que teria feito o uso de benzoilecgonina, parte integrante da cocaína e da folha de coca, segundo o atleta, involuntariamente. 

Guerrero marcou presença na audiência em que o juiz Arturo Zapata, do 29ª Tribunal Penal de Réus Livres de Lima, autorizou a abertura do processo. A ação será movida contra Jaime Durand que poderá responder pelos crimes de falsidade genérica e contra a fé pública porque teria passado informações falsas à Agência Mundial Antidoping (Wada).

Na denúncia, o atacante diz que o advogado mentiu ao dizer que a sala do hotel onde tomou o chá era pública para qualquer visitante e que qualquer um poderia entrar e levar comida, refrigerantes e inclusive bebidas alcoólicas.

Porém, Guerrero argumenta que essa área era de uso exclusivo da seleção peruana para receber parentes e amigos e por isso o hotel era obrigado a oferecer no espaço apenas os produtos indicados pela Federação Peruana de Futebol (FPF).

O atleta foi contratado pelo Internacional no ano passado mas só irá estrear na segunda quinzena de abril quando acaba a sua suspensão. O peruano defendeu o Flamengo entre 2015 e 2018.