Concessionária do Maracanã começa processo de devolução do estádio ao governo

Estádio tem até o dia 18 de abril para ser entregue de vez ao governo

Por Meia Hora

Flamengo e Fluminense têm interesse em gestão compartilhada do Maracanã
Flamengo e Fluminense têm interesse em gestão compartilhada do Maracanã -

Rio - O Complexo Maracanã Entretenimento (CME), consórcio que administra o estádio, informou nesta quarta-feira que já iniciou o processo de devolução ao governo do Estado. Na semana passada, o governador Wilson Witzel havia anunciado o rompimento com a empresa que administra o Maracanã por "descumprimento do contrato". A partir de agora, a concessionária tem até o dia 18 de abril para entregar de vez.

Em comunicado, a administradora do estádio afirma que "o rito obedece ao decreto governamental que determinou o encerramento unilateral da concessão do complexo". Apesar de o processo de devolução ao Estado ter iniciado justamente num dia de jogo - o Fluminense encara o Flamengo nesta quarta -, a concessionária informou que os eventos já programados acontecerão normalmente. 

"A Concessionária Maracanã, pautada pelo compromisso de manter o estádio com plena capacidade de operação e em respeito ao público, aos clubes, parceiros e patrocinadores, está neste momento fazendo todas as gestões necessárias para que o equipamento retorne às mãos do Governo do Estado no menor prazo possível dentro do limite já pré-estabelecido, que é o dia 18 de abril do ano corrente", diz a nota.

Segundo o governo, a concessionária não paga as parcelas relativas ao Maracanã desde maio de 2017. A dívida já chega a R$ 38 milhões. A intenção de Witzel é fazer uma nova licitação, ainda sem data definida. Flamengo e Fluminense já manifestaram interesse de fazer uma gestão compartilhada do estádio.