Neymar com a camisa do Santos - Foto: Ivan Storti / Santos FC
Neymar com a camisa do SantosFoto: Ivan Storti / Santos FC
Por O Dia
São Paulo - Após passar por um período conturbado na vida pessoal, Neymar segue com futuro indefinido na carreira. O jogador do PSG vem sendo disputado por gigantes da Europa, como Real Madrid e Barcelona. Porém, segundo o presidente do Santos, José Carlos Peres, o craque brasileiro poderia ter retornado ao clube que o revelou.

Nesta segunda feira, o dirigente confessou ao site "Globoesporte.com", que chegou a sondar os empresários do jogador sobre a possibilidade de um empréstimo de seis meses, antes do encerramento da janela transferências internacionais.

"Sem dúvidas. Quando surgiu essa possibilidade, que era remota, mas existia, tentamos nos aproximar para trazê-lo por seis meses, até dezembro. O Santos é um time reconhecido por recuperar jogadores, como o Gabigol, que estava encostado na Europa, e o Dodô também. Eles voltaram e tiveram boas performances. Jogador do Santos sempre que volta tem bom desempenho. Existia essa possibilidade de seis meses com o Neymar, mas a gente sabia que era quase impossível e não prosseguiu. Acredito que talvez surja uma oportunidade no futuro", afirmou o mandatário.
José Carlos Peres, presidente do Santos - Reprodução/Globoesporte.com
José Carlos disse ainda que a investida para tentar convencer Neymar não passou de conversas informais entre ele e o estafe do jogador.

"Conversamos com pessoas próximas ao pai dele, mas não foi para frente. Neymar hoje seria a cereja do bolo, mas ele ainda é um jogador de nível altíssimo, para Real Madrid, Barcelona, PSG".

Sem fechar as portas, o dirigente deu a sua opinião sobre o futuro do craque brasileiro, acreditando que o jogador ainda deve atuar por alguns anos no futebol europeu antes de voltar para o Brasil.

"Acho que ele vai jogar mais uns três anos na Europa. Mas, até pelas declarações do Neymar, é notório o amor que ele tem pelo clube. É um Menino da Vila. O dia que ele quiser voltar, a porta estará aberta", concluiu.