NBA: Saiba o que esperar da temporada que começa nesta terça-feira

Jogo de estreia marca o confronto entre os atuais campeões Toronto Raptors e o New Orleans Pelicans, que não poderá contar com Zion Williamson nas primeiras semanas

Por Juliana Pimenta

Zion Williamson
Zion Williamson -
Na próxima terça-feira começa a temporada regular do campeonato de basquete mais importante do mundo, a NBA. A competição se inicia com um jogo entre os atuais campeões Toronto Raptors e o New Orleans Pelicans, que não poderá contar com seu maior trunfo, o pivô Zion Williamson.
Lesão 

Além de dar um gostinho do que está por vir na temporada regular, a pré-temporada é uma ótima forma de conhecer os jogadores recém-draftados, como foi o caso de Zion Williamson. Mas, apesar de ter conduzido o New Orleans Pelicans à vitória em todos os cinco jogos disputados nessa fase, o pivô de 19 anos ficará fora das primeiras semanas da temporada por uma lesão no joelho direito.

Apesar de não ser grave, a lesão de Zion preocupa porque o jogador já teve problemas semelhantes em outros momentos da carreira. Durante a Summer League, após uma trombada com outro jogador, o calouro sentiu dores no joelho e jogou apenas oito minutos na competição antes de ser afastado.

E, é claro, não dá pra esquecer que, ainda no basquete universitário, Zion viveu o polêmico episódio com o tênis Nike. O pivô sofreu com dores no joelho após seu tênis estourar em quadra, causando uma entorse que o tirou das quadras por três semanas.

Não tão favoritos

Depois de três expressivas derrotas (123 x 101, 104 x 98 e 126 x 93), ontem, o Golden State Warriors finalmente conseguiu vencer os Los Angeles Lakers na pré-temporada da NBA. O time das estrelas Stephen Curry e Draymond Green chegou à vitória em um jogo em que o tive adversário não pôde contar com o brilhantismo de LeBron James e Anthony Davis. 
É válido lembrar que, desde o fim da temporada passada, quando os Warriors foram derrotados pelo campeão Toronto Raptors em junho, Klay Thompson rompeu o ligamento do joelho. Com isso, o time da Califórnia só poderá contar com o ala-armador por volta de janeiro ou fevereiro de 2020.
E os Bucks?

E antes que a temporada comece, é bom ficar atento ao Milwaukee Bucks. O time de Wisconsin, que chegou de mansinho e sem favoritismo às finais da Conferência Leste, venceu todos os cinco jogos da pré-temporada e tem em seu elenco o jogador mais valioso da última temporada: Giannis Antetokounmpo.
Mas o potencial em quadra do grego também é acompanhado de muita pressão. A forma como o ala-pivô, de apenas 24 anos, joga pode ser um caminho para que ele se torne o melhor jogador de todos os tempos, como previsto por Kevin Durant em 2017. E, de acordo com a lista de projeções para a temporada 2019-20, divulgada no site oficial da liga, mais da metade dos dirigentes acredita que Giannis vá ser MVP mais uma vez.
O que esperar de cada um dos 30 times da NBA
Por Marcus Celestino

- Philadelphia 76ers

Após uma eliminação trágica para Toronto, por uma bola espetacular de Kawhi Leonard, Philly chega mais uma vez com favoritismo na Conferência Leste. Se o time de Brett Brown perdeu Jimmy Butler para o Heat, adicionou um dos jogadores mais regulares da liga: Al Horford. Os Sixers também trouxeram Josh Richardson, que fez boas 73 partidas por Miami em 2018-2019. Além disso, a equipe manteve a letal trinca Tobias Harris, Ben Simmons e Joel Embiid. Os 76ERS também contam em seu plantel com o promissor calouro Matisse Thybulle, draftado com a vigésima escolha do primeiro round, o secundarista Zhaire Smith e o experiente Raulzinho, que deixou Utah depois de quatro temporadas.

Para ficar de olho: Joel Embiid e Ben Simmons
Pode surpreender: Matisse Thybulle

- Milwaukee Bucks

Milwaukee foi outro time da Conferência Leste que sofreu nas mãos de Kawhi Leonard. Apesar de ainda contar com o Greek Freak, como é conhecido Giannis Antetokounmpo, os Bucks perderam peças muito importante para esta temporada. Malcolm Brogdon, Calouro do Ano, trocou o time de Wisconsin pelos Pacers. Nikola Mirotic, o “Threekola”, decidiu voltar a navegar em mares europeus, e rumou para o Barcelona. As reposições não foram lá essas coisas. Milwaukee trouxe os veteranos Kyle Korver e Robin Lopez, além do jovem Dragan Bender, que não vingou em um zoneado Phoenix Suns. O time conseguiu segurar Eric Bledsoe, Brook Lopez e seu outro All-Star além de Giannis, Khris Middleton. No entanto, os dois últimos receberam contratos com cifras gordas que poderão prejudicar os Bucks num futuro próximo. Mesmo assim, com o MVP no time, os Bucks têm grandes chances de chegarem às finais.

Para ficar de olho: Giannis Antetokounmpo
Pode surpreender: Dragan Bender e Donte DiVincenzo

- Chicago Bulls

Os Bulls poderão conquistar, no máximo, uma oitava vaga nos playoffs na Conferência Leste. Mais do que isso será surpreendente. O time de Chicago terá de contar com brilhantes atuações do ala-armador Zach LaVine e de Lauri Markkanen. Os Bulls também depositam suas esperanças em boas temporadas de Otto Porter, do secundarista Wendell Carter Jr. e do calouro Coby White. O brasileiro Cristiano Felício segue no plantel, mas, após quatro temporadas abaixo das expectativas, Chicago quer se ver livre do contrato do pivô.

Para ficar de olho: Lauri Markkanen e Zach LaVine
Pode surpreender: Coby White e Tomas Satoransky

- Cleveland Cavaliers

A ressaca pós-LeBron ainda não cessou em Cleveland. A franquia ainda se encontra em reconstrução total e não conseguiu se livrar (até o momento) do contrato de Kevin Love. Os Cavs apostam numa dobradinha entre Collin Sexton e Darius Garland para, ao menos, conquistarem 20 vitórias na temporada. No futuro, Sexton e Garland poderão se tornar os novos Lillard e McCollum, mas, por enquanto, os torcedores de Cleveland não poderão exigir muito da dupla.

Para ficar de olho: Collin Sexton
Pode surpreender: Cedi Osman

- Boston Celtics

Boston “perdeu, mas saiu ganhando”, como diria o outro. Kyrie Irving decidiu ir para casa, para Brooklyn, mas isso pode ter ajudado os Celtics. O ótimo Kemba Walker enfim se livrou das amarras de Michael Jordan e dos Hornets e terá a chance de liderar um time jovem até, no mínimo, as finais da Conferência Leste. Com “menos Kobe Bryant no corpo”, Jayson Tatum poderá voltar a ser uma arma potente. Boston conta ainda com o incansável defensor Marcus Smart, o talentoso Jaylen Brown e com Gordon Hayward. O calcanhar de Aquiles dos Celtics é a posição cinco. Para substituir Horford, Boston trouxe Enes Kanter. O pivô de Kentucky pode ser uma máquina ofensiva, mas deixa a desejar defensivamente. O alemão Daniel Theis, seu reserva, também não é lá essas coisas. Mesmo assim, dá para esperar um time mais unido e mais atento às jogadas desenhadas pelo excelente técnico Brad Stevens.

Para ficar de olho: Kemba Walker
Pode surpreender: Carsen Edwards e Enes Kanter

- Los Angeles Clippers

Jerry West, “a logo”, montou o time tricampeão dos Lakers, aquele com Shaq e Kobe, e também foi o grande responsável pela dinastia dos Warriors. Tudo que West toca vira ouro. Dessa vez, o executivo conseguiu o free agent mais cobiçado da liga, Kawhi Leonard, e, de quebra, ainda adicionou Paul George ao plantel dos Clippers. Os duelos entre os times de Los Angeles serão emocionantes durante esta temporada e, certamente, tanto os Lakers quanto os Clips são favoritos ao título da NBA. O “primo pobre” dos Lakers conseguiu ainda manter boa parte do elenco que chegou aos últimos playoffs, com destaque para a “besta defensiva” Patrick Beverley e o sexto homem perfeito, Lou Williams. Os Clippers ainda têm Landry Shamet, Montrezl Harrell e Ivica Zubac (ex-Lakers) no equilibrado elenco. Favoritíssimos ao título.

Para ficar de olho: A dobradinha Kawhi e PG
Pode surpreender: Landry Shamet

- Memphis Grizzlies

Uma coisa é certa: A escolha dos Grizzlies no próximo draft ficará na loteria. Fique atento ao calouro Ja Morant, que pode roubar a cena de Zion Williamson durante a temporada. O armador de Murray State é jogador de franquia e tem tudo para carregar Memphis de volta aos playoffs no futuro. Jaren Jackson Jr.pode melhorar consideravelmente ao lado de Morant, bem como Jonas Valanciunas. E só. Ah! Andre Iguodala, no momento, faz parte do elenco. Está doido para sair e respirar um ar de Los Angeles, talvez?

Para ficar de olho: Ja Morant
Pode surpreender: Jaren Jackson Jr.

- Atlanta Hawks

Para você que tem League Pass: fique de olho em Atlanta. Os jovens Hawks não ganharão muitos jogos, mas as partidas serão divertidíssimas. Trae Young e John Collins formarão dupla ainda mais excitante nesta temporada. Kevin Huerter poderá trocar muitas figurinhas com os calouros De’Andre Hunter, um ala fantástico egresso de Virginia, e Cam Reddish, que foi companheiro de Zion Williamson em Duke. O time ainda adicionou Jabari Parker que, livre de lesões, é uma máquina de fazer cestas e Damian Jones, que produziu bem em Golden State.

Para ficar de olho: Trae Young e John Collins
Pode surpreender: Kevin Huerter, Cam Reddish e Bruno Fernando

- Miami Heat

Miami estará ali, buscando uma vaguinha nos playoffs na parte de baixo da Conferência Leste. Pat Riley fechou com Jimmy Butler, um cara durão que tem tudo a ver com a cultura da franquia. Só que o Heat não tem muito mais a oferecer. O armador Goran Dragic já passou dos 30 faz um tempinho e fez uma temporada passada aquém do esperado. Bam Adebayo, Justise Winslow e Kelly Olynyk são competentes, mas precisam mostrar mais para levar o time da Flórida a um novo patamar. Fique atento, no entanto, em Tyler Herro. O calouro de Kentucky fez uma boa pré-temporada e pode se tornar uma segunda arma do Heat em noites ruins de Butler.

Para ficar de olho: Jimmy Butler
Pode surpreender: Tyler Herro

- Charlotte Hornets

Como dono de franquia Michael Jordan foi um espetacular jogador. Depois de inúmeros fiascos (sim, Kwame Brown, você é um deles), Jordan aprovou mais uma loucura: um contrato de quase 20 milhões de dólares por ano para Terry Rozier. O “Scary Terry” não é um armador ruim. Longe disso. Mas, vamos lá, quase 20 milhões por ano? Charlotte é a franquia dona dos contratos mais bizarros da liga (Nicolas Batum, sortudo, que o diga) e não dará, de novo, alegrias aos seus torcedores. Ah, MJ...

Para ficar de olho: Terry Rozier
Pode surpreender: Miles Bridges
- Utah Jazz

Utah fez adições importantes ao seu plantel e tem chances de chegar novamente aos playoffs. Enfim, o jovem astro Donovan Mitchell terá alguém ao seu lado capaz de chutar de fora e abrir defesas. Mike Conley vem para ser esse cara. O Jazz, esperto, adicionou outro bom chutador ao elenco: Bojan Bogdanovic. O croata acertou 42% dos arremessos de três na temporada passada, atuando pelos Pacers. O time baseado em Salt Lake City também trouxe Emmanuel Mudiay para atuar como o reserva imediato de Conley e o regular Ed Davis para servir de backup para o sensacional Rudy Gobert, duas vezes melhor defensor da liga. O Jazz vem forte, com muito swing.

Para ficar de olho: Donovan Mitchell
Pode surpreender: Bojan Bogdanovic e Joe Ingles

- Sacramento Kings

Os Kings vêm em busca de uma vaga nos playoffs. A missão é difícil, mas não impossível. Se De’Aaron Fox continuar jogando o fino da bola, poucos times serão capazes de parar a equipe de Sacramento. Se Buddy Hield acertar sua renovação de contrato então... Aí complica mesmo. E os Kings contam ainda com o ótimo secundarista Marvin Bagley, o consistente Harrison Barnes e com uma trinca de grandões eficiente da linha de três: Bogdan Bogdanovic, Nemanja Bjelica e Dewayne Dedmon. Sacramento pode morrer na praia, mas está na briga.

Para ficar de olho: De’Aaron Fox
Pode surpreender: Trevor Ariza

- New York Knicks

Spike Lee e todos os demais torcedores dos Knickerbockers esperavam três prêmios após mais uma desastrosa temporada sob a presidência de James Dolan: Zion Williamson, Kevin Durant e Kyrie Irving. Por puro azar, o primeiro parou em Nova Orleans. Por incompetência, os outros dois foram parar em Brooklyn. Os fãs tiveram então que se contentar com R.J. Barrett, Julius Randle e Bobby Portis. Os Knicks certamente vencerão mais jogos em 2019-2020, mas, mesmo numa Conferência Leste aberta, vai ser difícil conquistar uma vaga nos playoffs.

Para ficar de olho: R.J. Barrett
Pode surpreeender: Dennis Smith Jr.

- Los Angeles Lakers

Após uma turbulenta temporada 2018-2019, os Lakers chegam a 2019-2020 querendo estabelecer mais uma dinastia. LeBron James, Anthony Davis e Kyle Kuzma serão as principais armas para tal. A contusão de DeMarcus Cousins pode ter decepcionado os fãs do púrpura e dourado, mas Los Angeles trouxe de volta figura controversa para substituir “Boogie”: Dwight Howard. Resta saber se o autointitulado Superman vai querer dividir com Javale McGee o seu tempo em quadra numa boa. Os Lakers são favoritos ao título da NBA, mas antes terão de passar pelos Clippers, donos de elenco muito mais encorpado.

Para ficar de olho: A dobradinha LeBron e AD
Pode surpreeender: Rajon Rondo

- Orlando Magic

Orlando está na mesma da temporada passada. O Magic deve brigar, de novo, pelos playoffs, mas passar pelas primeiras rodadas são outros quinhentos. Vucevic ainda é a incontestável estrela do elenco, mas tem pouco para jogar com ele. Aaron Gordon, Evan Fournier e Mo Bamba terão que jogar muito mais para levar Orlando ao tão sonhado mundo ideal. Vale lembrar que o Magic também tem em seu plantel Markelle Fultz. O armador vem treinando seu arremesso, e os vídeos são promissores. Resta saber se a técnica será aplicada num jogo da NBA.

Para ficar de olho: Nikola Vucevic
Pode surpreender: Markelle Fultz e Mohamed Bamba

- Dallas Mavericks

Os Mavericks têm uma dupla poderosa. Muito poderosa. O atual Calouro do Ano, Luka Doncic, e o “Unicórnio”, Kristaps Porzingis, prometem fazer estragos nas defesas adversárias. O problema é que os dois podem não ser o suficiente para que Dallas chegue aos playoffs. Faltam excelentes armadores e um pivô de quilate para completar o time. Por falar em pivô, Boban Marjanovic está no time texano nesta temporada. Mas, mesmo assim, apesar de engraçado e, às vezes, eficaz, só a altura de Bobie não ajudará Luka e Porzingis. Alô, galera do League Pass! Os Mavericks também serão divertidos durante a temporada.

Para ficar de olho: Dobradinha Doncic e Porzingis
Pode surpreender: Maxi Kleber e Seth Curry
- Brooklyn Nets

Os Nets acertaram na loteria. Após anos perdidos por conta de uma equivocada troca pelos — à época — vovôs Kevin Garnett e Paul Pierce com os Celtics, o time de Brooklyn voltou. Na temporada passada, comandada por D’Angelo Russell, a franquia fez bonito. Agora, com Kyrie Irving à frente, as coisas prometem ser ainda melhores. As chances de playoffs são boas. E olha que os Nets nem terão Kevin Durant para esta temporada. Imagina em 2020-2021?

Para ficar de olho: Kyrie Irving
Pode surpreender: Caris Levert

- Denver Nuggets

Os Nuggets têm o time mais “certinho” da NBA. Tudo se encaixa com perfeição na equipe comandada por Mike Malone. Tem mais. Se você acha que Giannis Antetokounmpo será mais uma vez o MVP da liga com certa facilidade, é porque não conhece o jogo de Nikola Jokic. O pivô, draftado no segundo round em 2011, faz de tudo: tem jogo no garrafão, chuta de três, pega rebotes, rouba bolas e é um armador de carteirinha. Detalhe? Ele tem apenas 24 anos. Qual foi o melhor Coringa para você? O do Jack Nicholson? O do Heath Ledger? O do Joaquin Phoenix? Se você respondeu qualquer um dos três é porque não sabe mesmo do que o “Joker” da NBA é capaz.

Para ficar de olho: Nikola Jokic
Pode surpreender: Gary Harris e Jerami Grant

- Indiana Pacers

Indy adicionou o bom Malcolm Brogdon ao plantel. O “Presidente” se junta a Victor Oladipo, que ainda se recupera de lesão, e Myles Turner para tentar levar os Pacers aos playoffs. Apesar de contar com elenco razoável, a franquia não deve ir muito longe na pós-temporada. Uma pena.

Para ficar de olho: Victor Oladipo
Pode surpreender: Myles Turner e Goga Bitadze (que deverá receber bons minutos no garbage time e na G League na primeira metade da temporada)

- New Orleans Pelicans

Esse é o time recomendado para a galera do League Pass. Mesmo com a lesão de Zion Williamson, os Pels têm um elenco que alia juventude e experiência com primor — cortesia de David Griffin, vice-presidente de operações da franquia. Jrue Holiday, Brandon Ingram, Lonzo Ball, Derrick Favors, J.J. Redick, Josh Hart e Jahlil Okafor não suprirão a ausência de Zion, mas não deixarão as coisas menos divertidas no Smoothie King Center. Quando a primeira escolha do draft voltar então... Esse time vai ser fogo!

Para ficar de olho: Zion Williamson
Pode surpreender: Lonzo Ball e Jahlil Okafor

- Detroit Pistons

Detroit vai ser Detroit. Os Pistons fecharam com Derrick Rose, mas isso não é o suficiente para chegar às finais de Conferência. Nem um revigorado Blake Griffin e um maduro Andre Drummond serão. A tendência é que Detroit permaneça no limbo, sem um armador confiável, esperando por um novo Isiah Thomas.

Para ficar de olho: Blake Griffin
Pode surpreender: Derrick Rose

- Toronto Raptors

Os atuais campeões contam com o talento de Pascal Siakam para resolver os problemas. Sem Kawhi Leonard as coisas ficam muito mais difíceis, mas o time dos Raptors segue consistente. Liderados por Siakam, Kyle Lowry, Marc Gasol, Serge Ibaka e Fred VanVleet podem levar Toronto a mais uma boa campanha.

Para ficar de olho: Pascal Siakam
Pode surpreender: Kyle Lowry

- Houston Rockets

Houston formou um duo de respeito com James Harden e Russell Westbrook, que deixou o Oklahoma City Thunder. Resta saber se os dois conseguirão dividir a mesma bola. Os coadjuvantes também causam dúvidas. Será que Clint Capela, Eric Gordon e P.J. Tucker representarão bem seus papéis? Os Rockets chegarão aos playoffs, mas, se quiserem ir às finais, dependem de tudo isso — e mais um pouco.
Fique de olho: A dobradinha Harden e Westbrook
Pode surpreender: A dobradinha Harden e Westbrook

- San Antonio Spurs

Não dá para duvidar dos Spurs. LaMarcus Aldridge é de uma regularidade que assusta. Rudy Gay e DeMar DeRozan tiveram suas carreiras reinventadas pelo técnico Gregg Popovich. Dejounte Murray volta de lesão e tem um reserva de calibre em Derrick White. Os Spurs certamente lutarão por uma vaga nos playoffs. E incomodarão muita gente.

Para ficar de olho: LaMarcus Aldridge e Dejounte Murray
Pode surpreender: Jakob Poeltl

- Phoenix Suns

Phoenix tem um time jovem, próprio para a galera que quer se divertir no league pass. A adição do sempre confiável Dario Saric foi uma boa, mas a contratação do armador Ricky Rubio pode sair pela culatra. O jogador custou caro (cerca de 17 milhões de dólares por ano) e não chuta bem da linha dos três pontos. Ele pode ajudar a desafogar o craque Devin Booker, mas ainda não é o comparanheiro ideal para o jovem ala-armador.

Para ficar de olho: Devin Booker e DeAndre Ayton
Pode surpreender: Kelly Oubre Jr.

- Oklahoma City Thunder

OKC perdeu Paul George e Russell Westbrook, seus dois principais jogadores. Ganhou Chris Paul, que veio dos Rockets, Danilo Gallinari e Shai Gilgeous-Alexander, que vieram dos Clippers. O elenco, apesar de interessante, é desequilibrado e tem buracos em algumas posições. Se você era fã do Thunder que já teve James Harden, Russell Westbrook e Kevin Durant pode esquecer. OKC não vai muito longe em 2019-2020.
Fique de olho: Chris Paul
Pode surpreender: Shai Gilgeous-Alexander

- Minnesota Timberwolves

Karl-Anthony Towns ainda é a grande estrela de Minnesota, bem como Andrew Wiggins é a maior decepção de Minnesota. A franquia não deverá ter um bom desempenho nesta temporada, mesmo com nomes interessantes como Robert Covington e o calouro de Texas Tech Jarrett Culver. Se você assistia a NBA na Bandeirantes na década de 1990 e curtia Minnesota por causa do Kevin Garnett irá se decepcionar. O que você verá dos Timberwolves na Band em 2019-2020 será um pouco diferente.

Para ficar de olho: Karl-Anthony Towns
Pode surpreender: Jarrett Culver

- Portland Trail Blazers

Portland foi rápido. Perdeu Jusuf Nurkic, por conta de fraturas assustadoras na tíbia e na fíbula, e o substituiu por Hassan Whiteside, que fechou contrato de 1 ano com o time. Além disso, os Trail Blazers assinaram com o veterano Pau Gasol, que estava nos Bucks, e ainda têm os mortíferos Damian Lillard e C.J. McCollum. No draft, abocanharam o promissor Nassir Little, da Carolina do Norte, e contam com outros jovens talentosos como Zach Collins. Playoffs para os Trail Blazers, amigo. Não tem como.

Para ficar de olho: Damian Lillard
Pode surpreender: Nassir Little

- Golden State Warriors

Golden State perdeu Kevin Durant para os Nets e Klay Thompson para uma lesão. Isso sem contar com os veteranos Andre Iguodala e Shaun Livingston. Nem por isso o time treinado por Steve Kerr deve ser descartado. Os Warriors fecharam com D’Angelo Russell, que jogou em Brooklyn na temporada passada, e Willie Cauley-Stein, pivô que substitui DeMarcus Cousins. Com um setor de armação composto por Steph Curry e Russell e uma frente de quadra com Draymond Green e Cauley-Stein, não dá para descartar Golden State. Não mesmo.

Para ficar de olho: Steph Curry
Pode surpreender: D’Angelo Russell

- Washington Wizards

Nossa... Washington. Washington tem tudo para “conquistar” o menor número de vitórias da temporada. John Wall, lesionado, não jogará. Bradley Beal, que assinou uma extensão de contrato com a franquia, lidera o time, composto por... Basicamente ninguém? O pivô Thomas Bryant pode ter uma temporada fantástica. O armador baixinho Isaiah Thomas pode ressurgir das cinzas e anotar números sensacionais. Nem isso fará com que Washington seja um time competitivo.

Para ficar de olho: Bradley Beal
Pode surpreender: Thomas Bryant e Rui Hachimura
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários