a crise no chile

Por

O aumento no valor da passagem de metrô foi o estopim de uma crise iniciada há três semanas no país. Sede da final da Libertadores, Santiago é o epicentro de manifestações marcadas pela violência e depredação pelas ruas da capital.

Aposentadoria menor do que o salário mínimo e dificuldades no acesso à Saúde e à Educação são algumas das cobranças da população que colocaram em xeque o elogiado modelo de gestão do país. Sebastián Piñera, presidente do Chile, descarta a renúncia, mas admite mudar, por intermédio do Congresso, a Constituição, em vigor desde a ditadura de Augusto Pinochet, como clamam os chilenos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários