Messi fatura a Bola de Ouro pela sexta vez

Argentino supera CR7 e se isola como o maior vencedor. Alisson é premiado como o melhor goleiro

Por O Dia

Coroado pela Fifa, em setembro, como o melhor jogador do mundo na temporada 2018/19, o argentino Lionel Messi, do Barcelona, faturou ontem, pela sexta vez, a Bola de Ouro da revista France Football. O troféu foi entregue em Paris numa cerimônia que também premiou o brasileiro Alisson, do Liverpool, como o melhor goleiro, a americana Megan Rapinoe, do Reign FC, como melhor jogadora e o zagueiro holandês De Ligt, da Juventus, como melhor jogador sub-21.

Messi ganhou a Bola de Ouro quatro anos depois da última conquista. Entre 2010 e 2015, o prêmio foi unificado pela Fifa. Completaram o top 4 da premiação o holandês Van Dijk, o português Cristiano Ronaldo, que não compareceu à cerimônia, e o senegalês Mané.

O craque argentino do Barcelona se isola como maior vencedor da história da premiação, somando oito prêmios ao todo, um a mais que CR7: seis Bolas de Ouro, quatro delas unificadas com a Fifa, e outros dois de melhor jogador do mundo dados pela entidade máxima do futebol.

"Quero agradecer pelo prêmio aos jornalistas que votaram em mim e aos meus companheiros que permitiram que eu ganhasse", disse Messi, em seu discurso. "Há dez anos recebi minha primeira Bola de Ouro em Paris. Vim com meu irmão, tinha 22 anos e achava que tudo aquilo que eu estava vivendo não se repetiria. E agora tenho seis", acrescentou o craque argentino.

Em 2019, Messi ganhou o Campeonato Espanhol e foi semifinalista da Copa América com a Argentina: "Eu me sinto abençoado e espero seguir durante muito tempo; acho que ainda tenho lindos anos pela frente, embora a aposentadoria se aproxime".

Alisson também havia levado o prêmio da Fifa em setembro. O alemão Ter Stegen, do Barcelona, ficou em segundo, com o brasileiro Ederson, do Manchester City, em terceiro. No top 10, Alisson foi o único brasileiro a aparecer, na sétima colocação. O atacante Roberto Firmino, também do Liverpool, foi o 17º, enquanto o zagueiro Marquinhos, do Paris Saint-Germain, ocupou a 28ª posição.

"É uma grande honra ganhar a Champions League, prêmios individuais. Eu não me sinto sortudo, me sinto abençoado e agradecido por tudo o que Deus fez na minha vida", afirmou Alisson.

Megan Rapinoe não compareceu à cerimônia de premiação, por conta de compromissos nos Estados Unidos, e enviou um vídeo de agradecimento.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários