Atacante brasileiro na China fala sobre situação crítica no país por conta do coronavírus: 'Está tudo parado'

Markão, que atua pelo Hebei Fortune, deu um panorama do país com a epidemia do vírus e afirmou que as pessoas foram orientadas a não sair de casa

Por Leonardo Damico

Markão marcou 11 gols e anotou quatro assistências pelo Hebei Fortune - Hebei, China
Markão marcou 11 gols e anotou quatro assistências pelo Hebei Fortune - Hebei, China -
Wuhan, China - A situação na China está cada vez mais crítica por conta do surto de Coronavírus. De acordo com o governo local, os números de mortos subiram para 425, enquanto o de pessoas infectadas aumentou para 20.400. Atacante brasileiro atuando no país asiático, Markão, do Hebei Fortune, comentou sobre como a rotina mudou no país e deu um panorama da situação nos arredores da cidade onde vive.

"A população foi orientada a não sair de casa, mesmo quem trabalha, joga futebol, qualquer pessoa. As ruas estão isoladas, ninguém abre comércio, está tudo parado. Em Wuhan, ninguém entra ou sai, e lá está muito mais difícil que aqui (Hebei). O governo está tomando todas as medidas para melhorar a situação. Até o mercado faz as entregas em casa para as pessoas não saírem nas ruas", disse o atacante, que complementou:

"Eles estão realizando vários testes para desenvolver a cura, mas ainda não conseguiram a definitiva. Para mim, que jogo futebol, é difícil, porque não consigo treinar e às vezes nem a academia abre. 90% do elenco está fora do país por conta da pré-temporada, e foram orientados a não voltar. Eu estava gripado e não consegui passar no aeroporto. Mas já estou melhor", encerrou o atleta que marcou 11 gols em 26 jogos em 2020.

Depois de ter o primeiro caso confirmado em Wuhan, a epidemia do coronavírus já tomou a maiorias das cidades chinesas. No entanto, a doença já não se restringe apenas ao país. Na Tailândia, país com o segundo maior número de infectados depois da China (20), o governo já tome medidas preventivas. Mailson, atacante brasileiro de 29 anos do Chiangrai-TAI, falou sobre a situação do país asiático.

"Ainda não está afetando muito o nosso dia a dia aqui. Recomendações o governo dá, é normal, mas ainda não está atrapalhando o convívio social, o trabalho e tudo mais. É claro que é preciso ter um certo cuidado, porque é muito perigoso. Procuro sempre sair com aquela máscara, passar um álcool na mão, me cuidar por precaução. É triste o que está acontecendo lá na China e espero que isso termine o mais rápido possível" comentou o jogador.
Ao todo já são 28 países que confirmaram pessoas infectadas pelo vírus: China, Macau, Hong Kong, Austrália, Camboja, Coreia do Sul, Filipinas, Índia, Japão, Malásia, Nepal, Singapura, Sri Lanka, Taiwan, Tailândia, Vietnã, Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Finlândia, França, Espanha, Itália, Inglaterra, Suécia, Bélgica, Rússia e Emirados Árabes. Atacante do Júblio Iwata-JAP, o brasileiro Lukian comentou a situação do país nipônico.

"Aqui no Japão a recomendação que o governo passa é usar as máscaras cirúrgicas em lugares fechados, com muita gente, e utilizar o álcool em gel nas mãos. Fui em uma lojinha em Tóquio há alguns dias e não encontrei mais nenhum desses itens. Mas, apesar da maioria das pessoas estarem usando, ainda existem outras que não utilizam", comentou o jogador que fará sua segunda temporada no Japão, país com o maior número de infectados fora da China (22).
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Markão marcou 11 gols e anotou quatro assistências pelo Hebei Fortune - Hebei, China Divulgação/Hebei Fortune
Lukian fará sua segunda temporada no país nipônico - Iwata, Japão Divulgação/Jubilo Iwata

Comentários