Goiás e Goianésia entram em acordo sobre porcentagem de Michael, negociado com o Flamengo; entenda!

Adquirido pelo Rubro-Negro carioca em janeiro, atacante virou motivo de desentendimento entre as duas equipes de Goiânia nos bastidores, mas, após reuniões, chegaram a um denominador comum, e o Esmeraldino comprará os 5% por 500 mil euros, parcelado em três vezes

Por Venê Casagrande

Michael na apresentação de ontem: um dos destaques do Campeonato Brasileiro de 2019
Michael na apresentação de ontem: um dos destaques do Campeonato Brasileiro de 2019 -
O Flamengo não teve vida fácil para conseguir a contratação de Michael, eleito craque do Brasileirão 2019. A negociação envolveu o Goiás, a sua ex-equipe, o Goianésia, time que o revelou, e o empresário Eduardo Maluf, agente do atacante. Na ocasião, o Rubro-Negro pagou 7,5 milhões de euros, cerca de 36 milhões de reais, para adquirir 80% dos direitos econômicos. O restante ficou dividido.
O Goianésia, porém, não gostou e foi cobrar ao Goiás o que estava em contrato: se Michael fosse negociado, o Esmeraldino deveria pagar 500 mil euros à equipe do interior. Depois de dois meses de negociação, as duas diretorias entraram em acordo. O valor será pago em três vezes. Uma parcela à vista, prevista para a próxima semana, e as outras duas quando o Flamengo pagar ao Verdão do Centro Oeste, em julho de 2020 e janeiro de 2021.
Com isso, a 'pizza de Michael' está dividida da seguinte forma:
- Flamengo pagou 7,5 milhões de euros e ficou com 80%;
- Goiás vendeu os 75% que tinha direito e comprou 5% do Goianésia;
-Eduardo Maluf, empresário de Michael, tem direito a 15%.
 
 
 

Comentários