Cruzeiro quita dívida na Fifa e evita nova perda de seis pontos na Série B

Clube realizou o pagamento de R$ 10,5 milhões pela compra do atacante Willian, em 2014

Por O Dia

Belo Horizonte, 08/12/2019 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS/PARCEIRO - As equipes do Cruzeiro e Palmeiras em jogo válido pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019, realizado no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, neste domingo (08). Foto: Fernando Michel/Parceiro/Agência O Dia
Belo Horizonte, 08/12/2019 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS/PARCEIRO - As equipes do Cruzeiro e Palmeiras em jogo válido pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2019, realizado no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, neste domingo (08). Foto: Fernando Michel/Parceiro/Agência O Dia -
Belo Horizonte, Minas Gerais - Temendo uma nova perda de seis pontos na Série B, o Cruzeiro realizou o pagamento de 1,75 milhão de euros (aproximadamente R$ 10,5 milhões) relativo a uma dívida na compra do atacante Willian, em 2014. O clube mineiro tinha até esta sexta-feira para quitar o valor. O anúncio do pagamento foi feito pelo novo presidente do clube, Sérgio Santos Rodrigues.

"Minha obrigação como presidente do Cruzeiro, eleito, é buscar soluções para que isso ocorra. Então, a TED dos funcionários foi feita junto com a TED do Zorya, e a dívida da FIFA já está paga, e o Cruzeiro não vai ter problema com perda de pontos mais (...) o dinheiro que veio para pagar isso decorre de uma parceria, não é uma doação. O Pedro (Lourenço) entendeu, assim como outros parceiros que faremos anúncios breves, entenderam, que o novo Cruzeiro a gente faz parceria com as pessoas e não, patrocínio (...) o projeto decorre da renovação do patrocínio master para o ano de 2021, então mais importante que essa nova parceria é ter a certeza que esse novo colaborador do clube, incentivador do clube, no ano mais importante da história do clube, no centenário, vai estampar a marca da sua empresa", disse Sérgio, em transmissão na internet.

Nas últimas semanas, o clube foi penalizado com a perda de seis pontos por conta da dívida no empréstimo do volante Denílson, em 2016. O Cruzeiro não pagou os R$ 5 milhões que devia ao Al-Wahda, dos Emirados Árabes. O novo presidente, que assume, oficialmente, o comando do clube a partir de 1 de junho também busca captação de recursos para o pagamento das folhas salariais de jogadores e funcionários, que soma aproximadamente R$ 5 milhões.

Comentários