Ativista LGBTI+ diz estar sendo ameaçado de morte e tem denúncia contra Neymar acatada pelo MP

Recentemente, Agripino Magalhães vazou áudios em que o jogador e seus 'parças' davam declarações homofóbicas

Por IG - Esporte

Neymar
Neymar -

O Ministério Público de São Paulo acatou o pedido de apuração contra ameaças sofridas pelo ativista LGBTI+ Agripino Magalhães por parte de Neymar e seus "parças".

Agripino entrou com um processo contra Neymar e os amigos depois de vazar na internet áudios em que o jogador dava declarações homofóbicas e até ameaça de morte a Tiago Ramos, ex-namorado da mãe do atleta.

Depois disso, o ativista sofreu ameaças de morte, e relatou ao MP. “O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) acatou o pedido de apuração das ameças de morte que o ativista LGBTI+ Agripino Magalhães vem sofrendo depois que denunciou o jogador Neymar Jr. e seus amigos por crimes de homofobia, incitação ao ódio e ameaça de morte de um LGBTI”, informou o órgão, por meio de nota.

Nos áudios, os amigos de Neymar sugerem que Tiago Ramos seja torturado com um cabo de vassoura, depois do jogador se referir ao rapaz como "viadinho".

”Ser LGBTI+ é, antes de tudo, uma ação política. É uma afirmação diária de nossa existência e busca por respeito aos direitos", disse o ativista na web.

Comentários